Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Composição florística de Sapotaceae dos rios Amazonas e Pará/Tocantins em ilhas do arquipélago marajoara.
Autores:  MORAES, L. B. de
RUSCHEL, A. R.
MACIEL, A. R. N.
PINTO, M. V. P.
BAHIA, P. T. F.
SILVA JUNIOR, W. O. da.
Data:  2016-02-10
Ano:  2015
Palavras-chave:  Composição Florística
Fitossociologia
Diversidade
Resumo:  A floresta amazônica apresenta uma diversidade de espécies, das quais muitas são endêmicas de várzea. Estas áreas são conhecidas por apresentarem períodos de seca e cheia, o que proporciona uma absorção de nutrientes diferenciada, gerando um aumento no crescimento em altura e diâmetro. Para analisar a composição florística das áreas de várzea, parâmetros como diversidade, riqueza e equabilidade são calculados e interpretados para o melhor conhecimento e monitoramento destes locais. Dentre as várias famílias que podem ser encontradas em várzeas, destacamos a Sapotaceae, que tem importância ecológica, porém, os estudados de sua composição florística são escassos. Portanto, o trabalho objetivou comparar a florística as famílias Sapotaceae nos estuários do rio Amazonas e Pará/Tocantins, na Ilha do Marajó do estado do Pará. Foram selecionadas áreas remanescentes de florestas de várzea, nos rios Amazonas (4 sítios) e Pará/Tocantins (4 sítios), onde tiveram a implantação parcelas permanentes de 0,5 há e subparcelas de 10 m x 10 m, para posteriormente, serem feitos inventário florestais contínuos da área. Para a análise de dados foi utilizada a fitossociologia, com índices de Shannon & Wiener. Os resultados demonstraram que, foram inventariados 769 indivíduos pertencentes à família Sapotaceae. A Pouteria macrocarpa(Huber) Ducke, apresentou maior IVC no rio Amazonas e no rio Pará/Tocantins foi Pouteria sp. Os índices de similaridade apresentaram 16,7% para Jaccard (J) e 28,6% em Sorense (SO). E os indivíduos da família Sapotaceae presentes no rio Pará/Tocantins são mais bem diversificados entre as espécies do que os indivíduos do rio Amazonas. As áreas de várzea apresentam elevada riqueza e diversidade de espécies, que precisam ser mais estudadas.

2015
Tipo:  Artigo em anais de congresso (ALICE)
Idioma:  Português
Identificador:  52017

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/1036459

http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/138666/1/v2p642.pdf
Editor:  In: SIMPÓSIO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS NA AMAZÔNIA, 4., 2015, Belém, PA. Anais. Belém, PA: UEPA, 2015.
Relação:  Embrapa Amazônia Oriental - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Formato:  v. 2, p. 642-648.
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional