Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Controle biológico de pragas em fruteiras tropicais.
Autores:  PARANHOS, B. A. J.
ARAÚJO, E. L.
FANCELLI, M.
NORONHA, A. C. da S.
SILVA, L. D.
BARBOSA, F. R.
COSTA, M. de L. Z.
SANCHES, N. F.
WALDER, J. M. M.
Data:  2010-03-03
Ano:  2009
Palavras-chave:  Neoseiulus idaeus
Bacillus thuringienses
Beauveria bassiana
Opius sp
Diachasmimorpha longicaudata.
Resumo:  A colheita anual brasileira de frutas tropicais é de aproximadamente 38 milhões de toneladas, o que coloca o país em terceiro lugar entre os maiores produtores mundiais. Entretanto, o volume de frutas frescas exportado ainda é muito pequeno, menos de 2%. A fruticultura brasileira emprega mais de 5 milhões de pessoas e ocupa uma área aproximada de 42 milhões de hectares. As principais frutas tropicais produzidas no Brasil são abacaxi, banana, mamão, manga e melão. Todas estas culturas são atacadas por pragas chave: o abacaxizeiro é atacado pela broca do fruto (Strymon megarus); a bananeira pelo moleque da bananeira (Cosmopolites sordidus); o mamoeiro pelo ácaro rajado (Tetranychus urticae); a mangueira pelas moscas-das-frutas (Anastrepha spp. e Ceratitis capitata); e o meloeiro pela mosca-minadora (Liriomyza spp.). Com foco em segurança alimentar e preservação do meio ambiente, os fruticultores estão buscando novos métodos para o controle de pragas e dentre esses está o biológico. Dessa forma, o parasitóide Diachasmimorpha longicaudata tem sido utilizado com sucesso, em vários países, no controle de moscas-das-frutas. Além disso, recentemente foi implementado na região do Vale do São Francisco um programa de controle de C. capitata baseado na técnica do inseto estéril. O moleque da bananeira tem sido controlado com o fungo Beauveria bassiana. Na região da Chapada do Apodi (RN e CE), onde se cultiva o meloeiro, o braconídeo Opius sp. tem sido utilizado no incremento do controle da mosca-minadora. O ácaro rajado pode ser controlado com o ácaro predador Neoseiulus idaeus, enquanto que o uso da bactéria Bacillus thuringienses pode apresentar alta eficiência no controle da broca do fruto, em plantações de abacaxi. Entretanto, os principais desafios em programas de controle biológico aplicado são: tecnologias para produção massal, avaliação de impactos ambientais, desenvolvimento de formulações e estabelecimento de níveis de controle e limiares de não ação.

2009

Pasta 10/107.
Tipo:  Resumo em anais de congresso (ALICE)
Idioma:  Português
Identificador:  42839

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/659653

http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/102635/1/6182.pdf
Editor:  In: SIMPÓSIO DE CONTROLE BIOLÓGICO, 11., 2009, Bento Gonçalves. Tecnologia e conservação ambiental: resumos. [Bento Gonçalves]: Sociedade Entomológica do Brasil: IRGA: Unisinos: Fiocruz, 2009.
Relação:  Embrapa Amazônia Oriental - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional