Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Nematoides fitoparasitas associados à mandioca na Amazônia brasileira.
Autores:  ROSA, J. M. O.
OLIVEIRA, S. A. de
JORDÃO, A. L.
SIVIERO, A.
OLIVEIRA, C. M. G. de
Data:  2014-12-01
Ano:  2014
Palavras-chave:  Yuca
Primeiro registro
Firts record
Prime registro
Helicotylenchus erythrinae
Meloidogyne enterolobii
Xiphinema longicaudatum
Acre
Amapá
Pará
Rondônia
Nemátodo parasitario de las plantas
Plagas de plantas.
Praga de planta
Parasito de planta
Nematóide
Mandioca
Manihot esculenta
Distribuição geográfica
Meloidogyne incognita
Pratylenchus brachyurus
Biogeografia.
Plant pests
Plant parasitic nematodes
Pratylenchus zeae
Biogeography.
Resumo:  A cultura da mandioca (Manihot esculenta) tem importância socioeconômica no Brasil, no entanto há ainda uma escassez de informações sobre a associação de nematoides fitoparasitas, bem como ao comportamento de cultivares de mandioca ao parasitismo desses agentes. O objetivo do presente trabalho foi relatar a distribuição geográfica e novas ocorrências das principais espécies de nematoides encontradas associadas à mandioca em diferentes municípios dos estados do Acre, Amapá, Pará e Rondônia. Além disso, estudou-se, em casa de vegetação, a reação de algumas cultivares de mandioca ao parasitismo de Meloidogyne incognita raça 3, Pratylenchus brachyurus e P. zeae. Nematoides foram extraídos de 10 g de raízes ou 250 cm3 de solo e identificados sob microscópio de luz. A espécie mais prevalente foi P. brachyurus, presente em 37,1% das amostras analisadas (n=35), seguida de M. incognita, encontrada em de 14,2% das amostras. Constituíram novas ocorrências para mandioca no Brasil: Helicotylenchus erythrinae, M. enterolobii e Xiphinema longicaudatum. As cultivares de mandioca provenientes do Amapá (Amazonas, Colônia Matapi, Manteiga, Pretinha e Pó-da-China) e as cultivares de mandioca Colonial e Caipora, provenientes do Acre, comportaram-se como suscetíveis a M. incognita raça 3. Por outro lado, as cultivares Caipora e Colonial comportaram-se como resistentes a P. brachyurus (fator de reprodução = 0,5 e 0,9, respectivamente) e imunes a P. zeae. Informações geradas neste estudo podem ser úteis para o manejo de áreas cultivadas com mandioca e infestadas pelos nematoides das lesões, P. brachyurus e/ou P. zeae.
Tipo:  Artigo de periódico
Idioma:  Português
Identificador:  Acta Amazonica, Manaus, v. 44, n. 2, p. 271-275, 2014.

0044-5967

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1001147
Direitos:  openAccess
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional