Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Avaliação do ciclo de vida da produção de algodão no cerrado brasileiro.
Autores:  COSTA, K. R.
PICOLI, J. F.
HILARA, L. G. S.
SCACHETTI, M. T.
DONKE, A. C. G.
SUASSUNA, N. D.
MORANDI, M. A. B.
MATSUURA, M. I. da S. F.
Data:  2017-02-15
Ano:  2016
Palavras-chave:  Desempenho ambiental
Cotonicultura
Algodão
Sistema de produção
Cotton
Environmental performance
Resumo:  Resumo: a produção de algodão tem crescido de forma significativa no Brasil e ganhado espaço no cenário internacional. Esta cultura ocupou uma área de 1,12 milhão de hectares, com uma produção de 4,40 milhões de toneladas na safra de 2013/2014. O Cerrado é o principal bioma onde o algodão é cultivado no país, respondendo por 95% da produção nacional. Neste bioma, o algodão é produzido em sistemas integrados, compostos por duas ou mais culturas agrícolas. O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho ambiental dos três principais sistemas de produção de algodão praticados no Cerrado brasileiro: 1) algodão, em rotação com milho, capim, e soja (AMCS); 2) algodão, em sucessão com soja e capim (ASC); 3) algodão em sucessão com a cultura do milheto (AM). Adotou-se a abordagem da Avaliação do Ciclo de Vida, tendo como referência as normas da série ISO 14040. Para a composição dos inventários, os dados dos sistemas de produção de algodão foram obtidos por consulta a produtores, especialistas e à literatura técnica e científica. Os outros inventários foram obtidos da base de dados ecoinvent v3.1. O método de avaliação de impactos utilizado foi o ReCiPe Midpoint (H) v1.12/World ReCiPe H, processado com apoio do software SimaPro v. 8.1.1.16. Os resultados mostraram que o sistema AMCS, mais complexo, obteve o melhor desempenho ambiental em todas as categorias de impacto analisadas, com exceção da Ecotoxicidade de Água Doce e Terrestre, onde, pelo contrário, obteve o pior desempenho. Isto ocorreu em decorrência do uso da cipermetrina, inseticida altamente tóxico, aplicado à cultura do milho. Os fertilizantes, especialmente os nitrogenados, também representaram uma importante fonte de impactos, com efeitos sobre as categorias Toxicidade Humana, Acidificação Terrestre, Formação de Material Particulado, Formação de Oxidação Fotoquímica e Mudança do Clima. Já o fertilizante fosfatado causou o impacto de Eutrofização de Água Doce. A adoção ou intensificação de práticas conservacionistas, como o controle biológico, a rotação de culturas, o emprego de espécies fixadoras de nitrogênio e da adubação verde, poderia mitigar tais impactos.
Tipo:  Separatas
Idioma:  Português
Identificador:  In: CONGRESSO BRASILEIRO EM GESTÃO DO CICLO DE VIDA, 5., 2016, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Associação Brasileira de Ciclo de Vida, 2016. p. 579-585.

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1064204
Direitos:  openAccess
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional