Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Adaptabilidade e estabilidade de híbridos de girassol convencional e alto oleico na Região Sul do Brasil.
Autores:  GRUNVALD, A. K.
CARVALHO, C. G. P. de
OLIVEIRA, A. C. B. de
PIRES, J. L. F.
CARVALHO, H. W. L. de
OLIVEIRA, I. R. de
Data:  2014-12-16
Ano:  2014
Palavras-chave:  Girassol
Resumo:  RESUMO: O óleo de sementes de genótipos convencionais de girassol apresenta, geralmente, teores de 55 a 65% de ácido graxo linoleico, que pode reduzir o colesterol plasmático total e a fração LDL-colesterol, além de reduzir os riscos de doenças cardiovasculares. Além dos convencionais, genótipos mutantes têm sido obtidos com teores superiores a 80% de ácido graxo oleico, cujo óleo possui maior estabilidade na fritura, além de trazer benefícios à saúde. O objetivo do presente trabalho foi comparar métodos e avaliar a adaptabilidade e a estabilidade de rendimento de grãos e de óleo de genótipos de girassol convencional e alto oleico na Região Sul do Brasil, uma das regiões promissoras para o seu cultivo. Os dados dos componentes de rendimento foram obtidos entre 2008 e 2010, de ensaios conduzidos em delineamento de blocos casualizados, em diferentes locais dos Estados do Rio Grande do Sul e do Paraná. O estudo de adaptabilidade e estabilidade foi feito por meio dos métodos Eberhart e Russell, Rocha et al., Lin e Binns modificado por Carneiro, Annicchiarico, e Porto, Carvalho e Pinto. Os híbridos convencionais V 50070 e Paraíso 20 tiveram adaptabilidade a ambientes favoráveis e desfavoráveis para os dois componentes de rendimento. Os três últimos métodos apresentaram grande similaridade e possibilitaram ainda selecionar genótipos com desempenho em ambientes específicos, mesmo quando não se destacaram na média geral. Os híbridos EXP 1450 (alto oleico) e PARAÍSO 33 (convencional) foram indicados para ambientes desfavoráveis e favoráveis, respectivamente. ABSTRACT: Conventional sunflower genotypes present linoleic fatty acid levels between 55 and 65 %, which has been proved to reduce plasma cholesterol and, as a consequence, the risk of cardiovascular diseases. Furthermore, mutant genotypes have been obtained with amounts of oleic fatty acid that exceed 80 %. Oleic fatty acid exhibits greater oxidative stability during the refining process, in storage, and in cooking applications, providing benefits to human health. The objective of this study was to evaluate the adaptability and stability of sunflower genotypes cultivated in southern Brazil, where the environmental conditions are promising to produce this oilseed crop. The grain and oil yields of conventional and high oleic genotypes were evaluated from 2008 to 2009. Yield components were evaluated in various locations in Rio Grande do Sul and Paraná states, where the trials were established under randomized block designs. The adaptability and stability of genotypes were evaluated by the following methods: Eberhart and Russell; Rocha et al.; Lin and Binns modified by Carneiro; Annicchiarico and Porto; Carvalho and Pinto. The conventional hybrids V 50070 and Paraíso 20 presented adaptability to favorable and unfavorable environments for both yield components. The last three methods showed great similarity and even allowed to select genotypes with performance in specific environments, even when not highlighted in the overall average. The hybrids EXP 1450 (high oleic) and PARAISO 33 (conventional) were indicated for favorable and unfavorable environments, respectively.

2014
Tipo:  Artigo em periódico indexado (ALICE)
Idioma:  Português
Identificador:  1517-591X

35600

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/1002713

http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/113849/1/Adaptabilidade-e-estabilidade-de-hibridos-de-girassol-convencional-e-alto-oleico-na-Regiao-Sul-do-Brasil.pdf

http://dx.doi.org/10.4322/rca.ao1270
Editor:  Revista de Ciências Agrárias, Belém, v. 57, n. 3, p. 217-223, jul./set. 2014.
Relação:  Embrapa Soja - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional