Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Efeito de operações de preparo de solo em pós-colheita sobre Sternechus subsignatus (Col.: Curculionidae).
Autores:  TAMAI, M. A.
HOFFMANN-CAMPO, C. B.
MARTINS, M. C.
OLIVEIRA, A. C. B.
LOPES, P. V. L.
PORAZZI, L. A.
Data:  2012-12-12
Ano:  2012
Palavras-chave:  Soja.
Resumo:  Sternechus subsignatus (Baheman), conhecido por tamanduá-da-soja, é uma praga muito prejudicial à cultura da soja no cerrado do Oeste da Bahia. Nos anos de 2005 (18/maio a 16/novembro) e 2006 (15/junho a 08/novembro), em Formosa do Rio Preto-BA, avaliou-se o efeito dos seguintes métodos de preparo do solo em póscolheita no controle deste inseto: T1) sem preparo de solo; T2) subsolador; T3) subsolador + grade intermediária (30 dias após a primeira operação); T4) arado de aiveca; T5) arado de aiveca + grade intermediária (30 dias após a primeira operação), e T6) grade intermediária. A infestação média da área era de 35,1 e 25,4 larvas/m2 a 0-20cm de profundidade do solo no momento da instalação dos experimentos em 2005 e 2006, respectivamente, com 80% das larva na faixa de 0-10cm. O delineamento foi o de blocos ao acaso, com quatro repetições, em parcelas de 144,0m2 (12,0m x 12,0m). O número de larvas/m2 foi determinado em três pontos/parcela (1,0m x 0,5m) nas profundidades de 0-5cm, 5-10cm, 10-15cm e 15-20cm. Os dados foram analisados pelo teste de Scott-Knott (1974), a 5% de probabilidade, e controle por Abbott (1925). O efeito dos tratamentos sobre a população de larvas foi consistente, com grande similaridade de resultados nos dois anos para todos os tratamentos. Os valores médios de controle para os tratamentos nos dois anos, e seus respectivos valores anuais foram: T2 (38% = 39,6% e 36,2%), T3 (66% = 61,3% e 70,8%), T4 (58% = 54,1% e 61,7%), T5 (81% = 76,3% e 85,9%) e T6 (20% = 24,7% e 14,7%). O impacto dos tratamentos T3, T4 e T5 sobre a população do inseto foi mais evidentes 80 dias após o início do ensaio. A segunda operação com grade incrementou significativamente o controle dos insetos iniciado com o subsolador e aiveca. Operação de preparo de solo em pós-colheita, com implementos corretos, é uma tática de controle viável no manejo dos focos populações de S. subsignatus no solo.
Tipo:  Separatas
Idioma:  Português
Identificador:  In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENTOMOLOGIA, 24., 2012, Curitiba. SEB-40 anos de avanços da Ciência Entomológica Brasileira: anais. [Curitiba]: SEB, 2012. Disponível em: <http://www.cbe2012.com.br/_apps/anais_web/trabalhos_selecionar.php>.

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/942333
Direitos:  openAccess
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional