Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  MV&Z
País:  Brazil
Título:  Teratoma ovariano em cadela: Relato de caso
Autores:  Seixas, G.
Félix, P. G.
Pucci, B.
Data:  2016-01-18
Ano:  2016
Palavras-chave:  Teratoma
Neoplasia
Cadela
Resumo:  As neoplasias ovarianas são raras na medicina veterinária e a sua real incidência ainda é desconhecida. A sua baixa ocorrência pode ser decorrência do incremento da prática da ovário-histerectomia (OHE) precoce em cadelas, o que acaba sendo um método profilático. As neoplasias são classificadas de acordo com a sua origem em epiteliais (adenoma), germinativas (disgerminoma e teratoma), estromal dos cordões sexuais (tumor de células da granulosa) e mesenquimais. Os tumores de origem germinativa correspondem a cerca de 15% dos casos. O teratoma ovariano é, caracterizado pela composição múltipla de tecidos estranhos ao ovário, como pele e anexos, dente, tecido ósseo, tecido adiposo e tecido nervoso. O diagnóstico é firmado com base nos exames clínicos e complementares, tais como ultrassonografia que devem ser confirmados pelo exame histopatológico. Uma cadela Rottweiller não castrada, com cinco anos de idade, foi atendida no Hospital Veterinário Unip em Campinas-SP com histórico de apatia, presença de formação em região meso-gástrica e ascite. Durante os episódios de ascite, apresentava anorexia e dificuldade de deambulação, que normalizava após a punção. A paciente nulípara havia apresentado cio há três meses com poucos dias de sangramento. O proprietário não soube relatar a duração dos intervalos entre os cios. Ao exame físico foi constatado: taquipneia, abdômen tenso a palpação e linfonodo poplíteo levemente aumentado. Na ultrassonografia foi confirmada a presença de uma formação de grandes dimensões em topografia de ovário direito. A paciente foi submetida a uma laparotomia exploratória, seguida de ováriohisterectomia. Ao exame histopatológico foi diagnósticado teratoma ovariano imaturo com metástase em parede estomacal e tumor maligno de bainha de nervos periféricos. Após o procedimento o proprietário não deu continuidade ao tratamento indicado e a paciente continuou apresentando quadros de ascite. O responsável optou pela eutanásia.
Tipo:  Info:eu-repo/semantics/article
Idioma:  Português
Identificador:  http://www.revistamvez-crmvsp.com.br/index.php/recmvz/article/view/28963
Editor:  Conselho Regional de Medicina Veterinária e Zootecnia do Estado de São Paulo
Relação:  http://www.revistamvez-crmvsp.com.br/index.php/recmvz/article/view/28963/30609
Formato:  application/pdf
Fonte:  Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia; Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 13, n. 3 (2015); 96-96

Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia; Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 13, n. 3 (2015); 96-96

Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP; Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 13, n. 3 (2015); 96-96

2596-1306
Direitos:  Direitos autorais 2016 Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional