Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  MV&Z
País:  Brazil
Título:  Estudo retrospectivo sobre a influência da dieta na ocorrência de urolitíase em gatos com doença renal crônica - FMVZ/USP (2000-2010)
Autores:  Melo, T. R.
Junior, A. R.
Brunetto, M. A.
Data:  2013-07-17
Ano:  2013
Resumo:  Nos últimos anos tem-se observado um incremento significativo na ocorrência de cálculos de oxalato de cálcio nas vias urinárias de gatos. A hipótese deste estudo retrospectivo é de que a dieta seca atua como fator de risco e predispõe a ocorrência da urolitíase no trato urinário dos gatos. Métodos: Foi realizado um levantamento de dados utilizando-se os prontuários de gatos diagnosticados com doença renal crônica (DRC) – grupo controle, com 103 animais; e de gatos com DRC e urolitíase – grupo de estudo, com 42 animais, entre o período de 2000 e 2010 no HOVET da FMVZ-USP. Utilizando os dados presentes nos prontuários dos animais, explorou-se as possíveis correspondências entre as variáveis estudadas através de análise de correspondência múltipla. Resultados e Discussão: No grupo de estudo, a maior parte dos cálculos encontravam-se localizados nos rins (71,43%). Pela análise de correspondência múltipla observou-se que os gatos do grupo de estudo apresentaram densidade urinária mais elevada (1,035- 1,050) e comiam mais frequentemente exclusivamente dieta seca. O pH que apresentou maior correspondência com o grupo de estudo, foi o pH maior que 7,0, valor que não se encontra dentro do intervalo sugerido como ideal para a prevenção da ocorrência de urólitos, que seria de 6,2 a 6,8. Não foi encontrado correspondência com sexo, mas a idade que apresentou maior correspondência foi de 0 a 5 anos. Também não houve correspondência entre a DRC e a ocorrência de urolitíase. Conclusão: Foi concluído que a dieta seca exerce forte influência sobre pH e densidade urinária, variáveis que estão diretamente ligadas com a ocorrência de urólitos no trato urinário dos gatos, atuando como fatores de risco. No entanto, sem a possibilidade de explorar as variáveis contidas nos prontuários, sugere-se que mais estudos sejam realizados para a melhor caracterização dos fatores de risco para a urolitíase.
Tipo:  Info:eu-repo/semantics/article
Idioma:  Português
Identificador:  http://www.revistamvez-crmvsp.com.br/index.php/recmvz/article/view/16833
Editor:  Conselho Regional de Medicina Veterinária e Zootecnia do Estado de São Paulo
Relação:  http://www.revistamvez-crmvsp.com.br/index.php/recmvz/article/view/16833/17708
Formato:  application/pdf
Fonte:  Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia; Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 11, n. 2 (2013); 82-82

Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia; Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 11, n. 2 (2013); 82-82

Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP; Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 11, n. 2 (2013); 82-82

2596-1306
Direitos:  Direitos autorais 2014 Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional