Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Ordenar por: RelevânciaAutorTítuloAnoImprime registros no formato resumido
Registros recuperados: 7
Primeira ... 1 ... Última
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Anestesia intravenosa total utilizando propofol ou propofol/cetamina em cadelas submetidas à ovariossalpingohisterectomia Ciência Rural
Gasparini,Simone Salata; Luna,Stelio Pacca Loureiro; Cassu,Renata Navarro; Biasi,Fernando de.
Objetivou-se avaliar os efeitos cardiorrespiratório e analgésico da infusão contínua com propofol e propofol/cetamina em cadelas pré-medicadas com atropina e xilazina, submetidas a ovariossalpingohisterectomia (OSH). Em seis cadelas (GP) a indução anestésica foi realizada com propofol (5mg kg-1 iv), seguido da manutenção anestésica com o mesmo fármaco em infusão contínua intravenosa na taxa inicial de 0,4mg kg-1.min-1. Outras seis cadelas (GPC) receberam a associação de propofol (3,5mg kg-1 iv) e cetamina (1mg kg-1 iv) como indução anestésica. Depois, foi feita manutenção anestésica em infusão contínua intravenosa inicial com 0,28mg kg-1.min-1 e 0,06mg kg-1.min-1 de propofol e cetamina, respectivamente. Os seguintes parâmetros foram mensurados durante a...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Infusão contínua; Anestésico geral; Anestésico dissociativo.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782009000500021
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Anestesia por infusão contínua de propofol em cães pré-medicados com acepromazina e fentanil Ciência Rural
Pires,Jefferson da Silva; Campello,Rui Afonso Viera; Faria,Renato Xavier; Guedes,Alonso Gabriel Pereira.
O propofol (2,6 diisopropilfenol) é um agente hipnótico de ultra curta duração que produz sedação e hipnose similar aos barbitúricos, sendo desprovido de ação analgésica. Quimicamente, é o único agente anestésico venoso que pode ser usado tanto na indução como na manutenção anestésica. O presente trabalho objetivou avaliar freqüência cardíaca, respiratória, oximetria, pressão arterial média, volume minuto e volume corrente em cães pré-medicados com acepromazina e fentanil e anestesiados por infusão contínua de propofol. Dez cães foram submetidos à medicação pré-anestésica com acepromazina (0,1mg.kg-1) e fentanil (0,01mg.kg-1), indução (3,16mg.kg-1) e manutenção anestésica com propofol em infusão contínua por noventa minutos, na velocidade de...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Cães; Propofol; Infusão contínua; Acepromazina; Fentanil.
Ano: 2000 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782000000500015
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Anestesia por isofluorano em eqüinos submetidos à infusão contínua de medetomidina ou xilazina Ciência Rural
Dória,Renata Gebara Sampaio; Valadão,Carlos Augusto Araújo; Canola,Paulo Aléscio; Guirro,Érica Cristina Bueno do Prado; Mendes,Marina Ceccato; Escobar,André; Ribeiro,Gesiane; Natalini,Cláudio Côrrea.
Avaliaram-se oito eqüinos sob anestesia geral inalatória com isofluorano (1CAM) e infusão contínua de xilazina (0,35mg kg-1h-1) ou medetomidina (3,5µg kg-1h-1), em relação à freqüência cardíaca, ritmo cardíaco, freqüência respiratória, pressão arterial, hemogasometria arterial e temperatura, nos tempos T0 (imediatamente antes do início da infusão contínua) e T10 ao T60 (intervalos de 10 minutos, após início da infusão contínua). Houve redução da freqüência cardíaca e da temperatura e elevação da pressão arterial média. A paCO2 (no GM) elevou-se e a paO2 mostrou-se maior no GM que no GX. Conclui-se que a infusão contínua de doses equipotentes de xilazina e medetomidina, durante anestesia geral inalatória, com isofluorano, em eqüinos, promove alterações...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Eqüinos; Infusão contínua; Isofluorano; Medetomidina; Xilazina.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782009000200020
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Farmacocinética do propofol em nanoemulsão em gatos Ciência Rural
Gehrcke,Martielo Ivan; Luiz,Rafael Messias; Lima,Marcos Paulo Antunes de; Farias,Felipe Hertzing; Poli,Anicleto; Moraes,Aury Nunes de; Oleskovicz,Nilson.
Os felinos são deficientes na biotransformação do propofol e os dados em relação à farmacocinética nessa espécie são escassos. O objetivo deste estudo foi determinar o perfil farmacocinético da infusão contínua de propofol em nanoemulsão juntamente com a emulsão lipídica em felinos. Utilizaram-se seis gatos sem raça definida (SRD), adultos, machos, castrados, com peso médio de 4,2±0,8kg, em estudo aleatório e de autocontrole. Os animais receberam 10mg kg-1 min-1 de propofol a 1% em emulsão lipídica (EMU) ou em nanoemulsão (NANO) durante 30 segundos e, imediatamente após, iniciou-se a infusão de 0,3 mg kg-1 min-1 da mesma formulação durante 60 minutos. Após 15 dias, receberam o mesmo tratamento com a formulação oposta. Amostras de 3mL de sangue venoso foram...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Anestesia total intravenosa; Formulação; Nanotecnologia; Infusão contínua; Emulsão lipídica.
Ano: 2013 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782013000400026
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Infusão contínua de propofol em gatos pré-medicados com cetamina-midazolam Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Selmi,A.L.; Figueiredo,J.P.; Mendes,G.M.; Lavor,L.M.S.; Machado,P.M.L..
Estudaram-se os efeitos anestésicos e cardiorrespiratórios produzidos pela infusão contínua de propofol em gatos pré-medicados com a associação cetamina-midazolam. Catorze gatos adultos foram igualmente distribuídos em dois grupos (TX1 e TX3) aos quais administraram-se, pela via intramuscular, cetamina (3,0mg/kg) e midazolam (0,3mg/kg). Decorridos cinco minutos procedeu-se a indução anestésica pela administração intravenosa de propofol (5,0mg/kg), imediatamente seguida pela infusão contínua do agente hipnótico nas doses de 0,1 ou 0,3mg/kg/min, aos animais de TX1 e TX3, respectivamente. Foram mensuradas as freqüências cardíaca e respiratória, temperatura retal, saturação de oxihemoglobina, concentração exalada de dióxido de carbono e pressão arterial. Em...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Gato; Propofol; Infusão contínua; Cetamina; Midazolam.
Ano: 2005 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352005000300003
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Infusão de morfina e cetamina, associada ou não à lidocaína, em gatas submetidas à ovariossalpingo-histerectomia Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Jesus,M.; Padilha,V.S.; Tocheto,R.; Comasetto,F.; Ronchi,S.J.; Oleskovicz,N..
RESUMO O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos analgésicos transoperatórios da infusão contínua de morfina e cetamina, associada ou não à lidocaína, em gatas submetidas à OSH eletiva. Foram utilizadas 16 fêmeas adultas, hígidas, pré-medicadas com acepromazina (0,1mg/kg) e morfina (0,5mg/kg), ambas pela via intramuscular, induzidas com cetamina (1mg/kg) e propofol (4mg/kg), pela via intravenosa, e mantidas sob anestesia geral inalatória com isoflurano a 1,4 V%. Os animais foram alocados aleatoriamente em dois grupos: grupo morfina, lidocaína e cetamina (MLK, n=8), que recebeu bolus de lidocaína (1mg/kg), pela via IV, seguido de infusão de morfina, lidocaína e cetamina (0,26mg/kg/h, 3mg/kg/h e 0,6mg/kg/h, respectivamente); e grupo morfina e cetamina...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Felinos; Analgesia multimodal; Infusão contínua; Anestésico local.
Ano: 2020 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352020000100161
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Parametria da associação do midazolam ou diazepam em cães pré-tratados pela atropina e tratados pela dexmedetomidina e quetamina Ciência Rural
Hatschbach,Eduardo; Massone,Flávio; Santos,Gustavo José von Glehn; Beier,Suzane Lílian.
Em Anestesiologia Veterinária, busca-se continuamente a contenção farmacológica para estabelecer tratamentos, cruentos ou não, permitindo manipulações seguras e duradouras, dispensando a anestesia geral sem alterar, sobremaneira, os parâmetros fisiológicos. Visou-se empregar a dexmedetomidina em associação com a quetamina e o midazolam ou diazepam. A técnica anestésica foi aplicada em 30 cães hígidos, machos ou fêmeas, com pesos de 10 a 15kg e idades de 2 a 4 anos, distribuídos aleatoriamente em três grupos (GI, GII, GIII). O grupo I recebeu um pré-tratamento de atropina (0,044mg kg-1 SC), e após 15 minutos, a dexmedetomidina (3mg kg-1 IV), em dose única, aplicada durante dois minutos e uma dose de manutenção de dexmedetomidina (3mg kg h-1) juntamente com...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Dexmedetomidina; Quetamina; Benzodiazepínicos; Infusão contínua; Cão.
Ano: 2006 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782006000200027
Registros recuperados: 7
Primeira ... 1 ... Última
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional