Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Ordenar por: RelevânciaAutorTítuloAnoImprime registros no formato resumido
Registros recuperados: 14
Primeira ... 1 ... Última
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Concentração e retenção do selênio em peixes marinhos Ciênc. Tecnol. Aliment.
Tenuta Filho,Alfredo; Macedo,Luciene Fagundes Lauer; Favaro,Déborah Inês Teixeira.
O pescado contém substancialmente maiores concentrações de selênio (Se) do que outras carnes e é, por isso, considerado a maior fonte dietária desse nutriente. Ao mesmo tempo, o pescado também é a maior fonte de ingestão de mercúrio (Hg) na dieta humana, cuja toxidez pode ser reduzida pelo Se, por interação entre ambos. Em consequência, a biodisponibilidade do Se é reduzida. No presente estudo, a ocorrência do Se foi avaliada em espécies marinhas de peixes brasileiros, comercialmente disponíveis, e determinada sua retenção em cação-mangona. Os níveis médios de Se encontrados nos peixes ósseos, corvina (Micropogonias furnieri), peixe-porco (Balistes capricus), pescada-branca e sardinha (Sardinella brasiliensis), 0,48 ± 0,18 μg.g-1, e nos peixes...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Selênio; Peixe marinho; Mercúrio.
Ano: 2010 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-20612010000500032
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Eritrograma e bioquímica do plasma da arraia Paratrygon aiereba (Chondrichthyes: Potamotrygonidae) do Arquipélago Mariuá, médio Rio Negro, Amazonas. Repositório Alice
OLIVEIRA, A. T.; SANTOS, M. Q. C.; LEMOS, J. R. G.; ARAÚJO, M. L. G.; DIAS, M. T.; MARCON, J. L..
2010
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Peixe marinho; Hematologia; Bioquímica animal.
Ano: 2010 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/878816
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Helicometrina nimia Linton, 1910 (Digenea: Opecoelidae) in dusky grouper Epinephelus marginatus (Lowe, 1834) (Teleostei: Serranidae) from southeastern Brazil. Repositório Alice
ROUMBEDAKIS, K.; MARCHIORI, N. C.; GARCIA, P.; PEREIRA JUNIOR, J.; CASTRO, L. A. S. de; MARTINS, M. L..
2014
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE) Palavras-chave: Parasitologia; Peixe marinho; Estômago; Intestino.
Ano: 2014 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/1012111
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Índices parasitários da arraia cururu Potamotrygon cf. histrix da Bacia do médio Rio Negro, Amazonas, Brasil. Repositório Alice
LEMOS, J. R. G.; OLIVEIRA, A. T. de; SANTOS, M. Q. de C.; FERREIRA, W. R.; DIAS, M. T.; MARCON, J. L..
A família Potamotrygonidae é constituída por arraias de vida exclusiva em água doce, encontradas na maioria dos sistemas fluviais da América do Sul. Esta família é composta por três gêneros, sendo que na bacia amazônica brasileira, 13 espécies correspondem ao gênero Potamotrygon. Destas, seis espécies são comercializadas como peixe ornamental, sendo Potamotrygon cf. hitrix a mais representativa no mercado internacional. Esta arraia, conhecida como cururu, ocorre em ambientes de igapó, sendo capturada durante a vazante, seca e início da enchente, períodos em que há grandes mudanças nos parâmetros físicos e químicos da água, mudanças estas que podem interferir na estrutura das comunidades de parasitos. Quando capturadas, estas arraias podem transferir para o...
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Peixe marinho; Parasito; Diversidade.
Ano: 2010 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/878565
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Influência da densidade de estocagem no cultivo de juvenis de robalo-flecha mantidos em laboratório. Repositório Alice
SOUZA-FILHO, J.J. de; CERQUEIRA, V.R..
O objetivo deste trabalho foi analisar a influência da densidade de estocagem no crescimento, conversão alimentar e sobrevivência de juvenis de robalo-flecha (Centropomus undecimalis). Os peixes foram coletados em ambiente natural e treinados a aceitar dietas artificiais. Os indivíduos, com comprimento total de 13±0,4 cm e peso de 23±0,3 g foram estocados em tanques circulares de fibra de vidro de 5 m³, com água do mar e aeração contínua, nas densidades de 3, 6 e 9 peixes/m³, por 180 dias. Os valores de amônia total (0 a 0,5 mg/L), temperatura da água (23,3 a 30,6ºC), salinidade (17 a 34 g/L), pH (7,8 a 8,4) e oxigênio dissolvido (4,8 a 6,9 mg/L) apresentaram padrão similar entre os tratamentos. A conversão alimentar (1,88, 2,06 e 2,31) e a sobrevivência...
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE) Palavras-chave: Centropomus undecimalis; Peixe marinho; Conversão alimentar; Taxa de crescimento; Sobrevivência; Técnica de criação; Saltwater fish; Feed conversion; Growth rate; Survival; Rearing techniques.
Ano: 2003 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/109672
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Influência da densidade de estocagem no cultivo de juvenis de robalo-flecha mantidos em laboratório PAB
Souza-Filho,José Jerônimo de; Cerqueira,Vinicius Ronzani.
O objetivo deste trabalho foi analisar a influência da densidade de estocagem no crescimento, conversão alimentar e sobrevivência de juvenis de robalo-flecha (Centropomus undecimalis). Os peixes foram coletados em ambiente natural e treinados a aceitar dietas artificiais. Os indivíduos, com comprimento total de 13±0,4 cm e peso de 23±0,3 g foram estocados em tanques circulares de fibra de vidro de 5 m³, com água do mar e aeração contínua, nas densidades de 3, 6 e 9 peixes/m³, por 180 dias. Os valores de amônia total (0 a 0,5 mg/L), temperatura da água (23,3 a 30,6ºC), salinidade (17 a 34 g/L), pH (7,8 a 8,4) e oxigênio dissolvido (4,8 a 6,9 mg/L) apresentaram padrão similar entre os tratamentos. A conversão alimentar (1,88, 2,06 e 2,31) e a sobrevivência...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Centropomus undecimalis; Peixe marinho; Conversão alimentar; Taxa de crescimento; Sobrevivência; Técnica de criação.
Ano: 2003 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-204X2003001100010
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Interações ecofisiológicas em arrais de água doce. Repositório Alice
OLIVEIRA, A. T. de; ARIDE, P. H. R.; SANTOS, S. M. dos; LIMA, J. P.; MARCON, J. L.; TAVARES-DIAS, M..
2014
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Peixe marinho; Hematologia.
Ano: 2014 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/996643
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
O estado atual sobre o conhecimento de arrais Potamotrygonidae. Repositório Alice
OLIVEIRA, A. T. de; ARAÚJO, M. L. G. de; LEMOS, J. R. G. de; ARIDE, P. H. R.; LIMA, J. P.; TAVARES- DIAS, M.; MARCON, J. L..
2014
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Peixe marinho; Peixe de água doce; Biologia animal.
Ano: 2014 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/996644
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Parâmetros sanguíneos da arraia de água doce Potamotrygon orbignyi Castelnau, 1855 (Potamotrygonidae) da Bacia do Rio Negro, Amazonas, Brasil. Repositório Alice
OLIVEIRA, A. T. de; LEMOS, J. R. G.; SANTOS, M. Q. de C.; PEREIRA, C. do N.; DIAS, M. T.; MARCON, J. L..
A região Amazônica apresenta a maior diversidade de espécies de potamotrigonídeos, algumas com distribuição ampla como as arraias Paratrygon aiereba, Potamotrygon motoro e Potamotrygon orbignyi, sendo essa última encontrada nas bacias dos rios Amazonas, Orinoco e nos rios das Guianas e do Suriname. No Amazonas, as arraias de água doce são exploradas há mais de duas décadas pela pesca ornamental e, atualmente, cerca de 10.000 espécimes/ano são exportados. Deste total, 10% pertencem à espécie P. orbignyi, mesmo com participação aparentemente baixa, esta espécie é a mais valorizada entre todos os peixes ornamentais comercializados junto ao mercado internacional. A grande valorização de P. orbignyi se deve ao alto policromatismo, além da dificuldade de...
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Bioquímica plasmática; Peixe marinho; Hematalogia.
Ano: 2010 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/878613
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Parasitismo por Potamotrygonocotyle eurypotamoxenus Domingues & Marques, 2007 (Monogenea) e sua correlação com o peso de arraias Potamotrygon cf. histrix, da Bacia do médio rio Negro (AM), Brasi.l Repositório Alice
LEMOS, J. R. G.; TAVARES-DIAS, M; OLIVEIRA. A. T.; ANDRADE, S. M. S.; KOHN, A.; COHEN, S. C.; MARCON, J. L..
Potamotrygonocotyle Mayes, Brooks & Thorson, 1981 (Monogenoidea: Monocotylidae) é o único gênero conhecido parasitando brânquias de arraias neotropicais de água doce. Recentemente, Potamotrygonocotyle eurypotamoxenus foi descrito para cinco espécies de arraias do gênero Potamotrygon provenientes da bacia do Rio La Plata (Corrientes, Argentina). Entretanto, até o presente, não há relato da ocorrência dessa espécie de Monogenea em arraias da bacia do médio Rio Negro (AM), como a arraia cururu Potamotrygon cf. histrix, espécie endêmica e importante para o comércio internacional de peixes ornamentais. O objetivo deste trabalho foi avaliar a intensidade de P. eurypotamoxenus em espécimes selvagens de Potamotrygon cf. histrix e sua relação com o peso do...
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Arraia; Peixe marinho; Agua doce; Competição biológica.
Ano: 2009 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/353422
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Parasitos de Centropomus undecimalis e Centropomus parallelus (perciformes) cultivados em Santa Catarina (Brasil) e relação hospedeiro-parasito. Repositório Alice
TANCREDO, K. R.; MIRCHIORI, N. da C.; ROUMBEDAKIS, K.; CERQUEIRA, V.; TAVARES-DIAS, M.; MARTINS, M. L..
Os robalos são reconhecidos como espécies de grande potencial para a aquicultura, devido à boa taxa de crescimento, a qualidade da carne que é branca, delicada e com pouca gordura. A separação do filé é fácil, com alto rendimento e não apresenta espinhos. Seu valor de mercado está entre os mais elevados, considerando peixes marinhos e de água doce. No entanto, são peixes sensíveis à baixa qualidade ambiental podendo provocar estresse e doenças. As doenças parasitárias são fatores limitantes ao incremento da produção e produtividade, causando prejuízos econômicos significativos ao produtor, devido à elevada mortalidade. Portanto, é necessário identificar os parasitos causadores de infecções em robalos cultivados e avaliar as condições sanitárias, para então...
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Fator de condição; Monogenea; Robalo; Peixe de água doce; Peixe marinho; Sanidade animal; Parasito de animal.
Ano: 2013 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/969534
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Propriedades hematológicas de populações naturais de Potamotrygon motoro (Chondrichthyes: Potamotrygonidae): uma abordagem comparativa sobre o dimorfismo sexual. Repositório Alice
OLIVEIRA, A. T.; ARAÚJO, M. L. G.; LEMOS, J. R. G.; SANTOS, M. Q. C.; TAVARES-DIAS, M.; MARCON, J. L..
2011
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Estudo comparativo; Arraia; Peixe de água doce; Peixe marinho; Hematologia; População.
Ano: 2011 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/914214
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Qualidade da corvina (Micropogonias furnieri) eviscerada em diferentes períodos de estocagem a 0°C Ciência Rural
Borges,Alexandre; Teixeira,Marcelo Sardenberg; Freitas,Mônica Queiroz de; Franco,Róbson Maia; Mársico,Eliane Teixeira; São Clemente,Sérgio Carmona de.
O trabalho objetivou, a partir de análises físico-químicas e sensoriais, determinar a vida útil da corvina (Micropogonias furnieri) eviscerada e estocada à temperatura de 0°C. No 14° dia de estocagem, o pH da musculatura atingiu o valor limite aceitável para o consumo, estipulado em 6,4. Os teores de Bases Voláteis Totais se mantiveram dentro dos valores estipulados em 30mgN 100g-1 como próprios para o consumo até o 21° dia de estocagem. A histamina não ultrapassou, nos 28 dias de estocagem a 0°C, o valor-limite aceitável de 10mg 100g-1 de carne. A análise descritiva quantitativa empregou nove atributos para a descrição sensorial das corvinas, sendo que o aroma e o sabor característicos de peixe marinho, o aroma e o sabor de maresia, o gosto amargo e a cor...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Peixe marinho; Micropogonias furnieri; Corvina; Vida útil.
Ano: 2007 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782007000100042
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Teor de colesterol e composição centesimal de algumas espécies de peixes do estado do Ceará Ciênc. Tecnol. Aliment.
Caula,Francisco Charles Barros; Oliveira,Maria Petronília de; Maia,Everardo Lima.
O presente estudo tem como objetivo determinar o teor de colesterol total em amostras de pescado de água marinha e doce. As amostras analisadas foram o pargo marinho, Lutjanus purpureus, e os seguintes peixes de água doce: tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus, curimatã, Prochilodus cearensis e a sardinha, Triportheus angulatus, adquiridas em pontos comerciais (frigoríficos, feira de pescado da praia de Mucuripe e feira-livre suburbana) de Fortaleza - Ceará. Além da determinação do teor de colesterol, também foram avaliados a composição química centesimal e o valor calórico das amostras. O teor médio de colesterol (mg.100 g-1) apresentado foi 33,5 para o pargo, 28,4 para a tilápia, 93,8 para o curimatã e 61,2 para a sardinha. Em relação à composição...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Peixe marinho; Peixe de água doce; Colesterol; Valor nutritivo; Valor energético.
Ano: 2008 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-20612008000400031
Registros recuperados: 14
Primeira ... 1 ... Última
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional