Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Morfofisiologia de gramíneas forrageiras tropicais cultivadas sob diferentes suprimentos hídricos e condições edafoclimáticas.
Autores:  MARANHÃO, S. R.
Data:  2018-02-28
Ano:  2017
Palavras-chave:  Condições edafoclimáticas
Lâminas de irrigação
Gramínea forrageira
Forrageira tropical
Capim Búffel
Resumo:  Resumo: Objetivou-se avaliar as trocas gasosas, o fluxo de biomassa e as características estruturais e de biomassa de cinco gramíneas forrageiras tropicais: Búffel (Pennisetum ciliare (L.) Link) cultivar Gayndah; Paiaguás e Piatã (Urochloa brizantha (Hochst. ex A. Rich.) R.D. Webster); Massai e Tamani (Megathyrsus maximus (Jacq.) B.K. Simon & S.W.L. Jacobs), implantadas em duas classes texturais de solo (arenosa e média) e supridas com diferentes regimes de irrigação. As gramíneas foram agrupadas em gêneros botânicos para a condução das análises estatísticas, sendo comparadas entre sinas fases de crescimento. No caso do capim-búffel, as informações foram agrupadas em períodos, sendo comparado o desempenho da cultivar entre período de crescimento. As trocas gasosas foram conduzidas em três fases: estabelecimento, onde foi realizado um curso diário sob o regime de irrigação de 100% da Et0, e períodos seco e de transição seco/chuvoso quando o ensaio se deu em solo de textura arenosa; e seco e chuvoso quando as avaliação foram realizadas em solo de textura média. As avaliações de fluxo de biomassa e características de biomassa e estruturais também foram realizadas em três períodos, seguindo o mesmo desenvolvimento das trocas gasosas. Com relação aos resultados em solo de textura arenosa, o capim-búffel apresentou as melhores respostas morfofisiológicas e estruturais no período seco, com o maior acúmulo de forragem verificado no regime de 90% da Et0. Já no tocante aos capins Massai e Tamani observaram-se maiores taxas de senescência foliar e maior acúmulo de biomassa de colmo verde no capim-tamani e, a semelhança do capim-búffel, o nível de 90% da Et0 favorece o desempenho das funções fisiológicas desta, traduzindo em melhores características produtivas. No que se refere aos capins Paiaguás e Piatã, as melhores características morfofisiológicas, estruturais e de produção de biomassa de lâminas foliares foram verificadas no capim-piatã, especialmente pela menor taxa de senescência foliar, das hastes e maior produção de lâminas foliares no regime de 30% da Et0 no período seco. Já em relação aos resultados em solo de textura média, o capim búffel apresentou as melhores respostas no período seco, como maior eficiência no uso da água, maior relação lâmina foliar/colmo e número de folhas vivas, sendo observado que, no regime de 60% da Et0 durante o período seco, favoreceu as melhores características estruturais e produtivas quando do início do período chuvoso. No tocante aos capins Massai e Tamani, o capim-massai apresentou comportamento semelhante nos períodos seco e chuvoso, principalmente pela reduzida taxa de senescência foliar e baixo alongamento das hastes, mostrando-se mais resiliente aos menores regimes de irrigação. Para os capins Paiaguás e Piatã, por sua vez, foi verificado maior eficiência no uso da água e maior produção de lâminas foliares na fase de estabelecimento no capim-piatã, característica morfofisiológica interessante para uso em sistemas de baixo regime hídrico, além de apresentar menor biomassa de colmo e de forragem morta nos períodos seco e chuvoso. De maneira geral, os maiores registros dos parâmetros fisiológicos foram observados nos horários de maior intensidade luminosa, independentemente da cultivar e da classe de solo a que estavam implantadas, o que mostra elevada capacidade fotossintética das gramíneas forrageiras tropicais. De igual modo, o regime de 30% da Et0 no período seco possibilitou a manutenção do status morfofisiológico das gramíneas sem ocasionar morte de perfilhos e perda do vigor da rebrotação com a entrada no período das águas. Abstract: The objective of this study was to evaluate the gas exchange, the biomass flow and the structural and biomass characteristics of five tropical forage grasses: Búffel (Pennisetum ciliare (L.) Link) cv. Gayndah; Paiaguás and Piatã (Urochloa brizantha (Hochst. Ex A. Rich.) R.D. Webster); Massai and Tamani (Megathyrsus maximus (Jacq.) B.K. Simon & S.W.L. Jacobs), implanted in two soil texture classes (sandy and medium) and supplied with different irrigation regimes. The grasses were grouped in botanical genera to conduct the statistical analyzes, being compared among themselves in the growth phases. In the case of the buffel grass, the information was grouped in periods, being compared the performance of the cultivar between period of growth. The gas exchanges were conducted in three phases: establishment, where a daily course was performed under the 100% Et0 irrigation regime, and dry and dry/rainy transition periods when the test occurred in sandy soil; and dry and rainy when the evaluations were performed in medium texture soil. Biomass flow and biomass and structural characteristics were also evaluated in three periods, following the same development of gas exchanges. Regarding the results in sandy soil, buffel grass had the best morphophysiological and structural responses in the dry period, with the highest forage accumulation verified in the 90% Et0 regimen. Regarding the Massai and Tamani grasses, there was a higher leaf senescence rate and a higher accumulation of green stem biomass in the tall grass, and similar to the buffel grass, the 90% level of Et0 favors the performance of the physiological functions of this, translating into better productive characteristics. Regarding the Paiaguás and Piatã grasses, the best morphophysiological, structural and biomass characteristics of leaf blades were observed in the piatã grass, especially due to the lower foliar senescence rate, stems and greater foliar leaf production in the 30% Et0 in the dry period. Regarding the results in medium textured soil, buffel grass presented the best responses in the dry period, such as higher water use efficiency, higher leaf/stem ratio and number of live leaves, and it was observed that in the 60% of Et0 during the dry season favored the best structural and productive characteristics at the beginning of the rainy season. Massai and Tamani grasses showed similar behavior in the dry and rainy seasons, mainly due to the reduced rate of leaf senescence and low elongation of the stems, which was more resilient to the lower irrigation regimes. For Paiaguás and Piatã grasses, in turn, greater efficiency in the use of water and greater production of leaf blades in the stage of establishment in the piatã grass, an interesting morphophysiological characteristic for use in systems of low water regime were verified, besides presenting lower stem biomass and dead forage in the dry and rainy seasons. In general, the greatest records of physiological parameters were observed at the highest light intensity, independently of the cultivar and the soil class to which they were implanted, which shows high photosynthetic capacity of the tropical forage grasses. Likewise, the regime of 30% Et0 in the dry season allowed the maintenance of morphophysiological status of grasses without causing tiller death and loss of regrowth vigor with the entry into the water period.

bitstream/item/173434/1/CNPC-2017-UPA-5.pdf

Dissertação (Mestrado em Zootecnia. Área de concentração: Forragicultura e Pastagem) - Universidade Estadual Vale do Acaraú, Sobral. Orientador: Roberto Cláudio Fernandes Franco Pompeu; Co-orientador: Henrique Antunes de Souza
Tipo:  Tese/dissertação (ALICE)
Idioma:  Português
Identificador:  36478

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1088338
Editor:  2017.
Relação:  Embrapa Caprinos e Ovinos - Tese/dissertação (ALICE)
Formato:  266 f.
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional