Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Dendroecologia de Sebastiania commersoniana (Baill.) L.B.Sm. & Downs e Hovenia dulcis Thunb. em uma área degradada na floresta Ombrófila Mista Aluvial, Sul do Brasil.
Autores:  KANIESKI, M. R.
GALVÃO, F.
ROIG, F. A.
BOTOSSO, P. C.
Data:  2017-12-13
Ano:  2017
Palavras-chave:  Sebastiania commersoniana
Dendrocronologia
Contaminação ambiental
Environmental contamination
Espécie exótica
Espécie nativa
Hovenia dulcis
Dendrochronology
Resumo:  Em uma área da Floresta Ombrófila Mista Aluvial impactada por vazamento de óleo bruto no município de Araucária - PR, Brasil, conduziu-se o estudo dendroecológico de Sebastiania commersoniana (Baill.) L.B.Sm. & Downs (Euphorbiaceae) e da espécie exótica Hovenia dulcis Thunb. (Rhamnaceae). Os objetivos do estudo foram avaliar o efeito do alagamento da área a partir da construção de diques como medida de descontaminação de petróleo e de fatores meteorológicos no crescimento em diâmetro do tronco de ambas as espécies. Foram coletadas três séries temporais radiais do lenho de cada indivíduo adulto selecionado com uso de sondas de incremento, em duas condições, ambas com solo hidromórfico (Gleissolo Háplico), tendo como diferença a altura do lençol freático: SHT ? saturação hídrica temporária (Sebastiania commersoniana n=12; Hovenia dulcis n= 10) e SHP ? saturação hídrica permanente (Sebastiania commersoniana n=6; Hovenia dulcis n= 0). Séries cronológicas foram desenvolvidas, correlacionandoas com dados meteorológicos da região. Os resultados demonstraram que os indivíduos da espécie nativa em ambas as condições apresentaram padrão semelhante de crescimento, com tendência de diminuição ao longo dos anos; diferentemente dos indivíduos da espécie exótica, com tendência de aumento do incremento ao longo dos anos. Os indivíduos da condição SHP tiveram taxas menores de incremento após o ano do derramamento, o que mostra que o alagamento da área a partir da construção de diques como tentativa de descontaminação afetou o crescimento dos indivíduos. O crescimento das espécies correlacionou-se com a precipitação apenas na condição SHT. A temperatura mínima representou ser fator limitante ao crescimento de Sebastiania commersoniana, mostrando que temperaturas mais elevadas são importantes para o crescimento, principalmente no início do período deste. Entretanto, a ocorrência de temperaturas muito altas nos meses mais quentes pode ser limitante ao crescimento. Para Hovenia dulcis, nenhuma correlação significativa foi observada com a temperatura, porém, a precipitação mostrou-se fundamental nos meses em que a espécie mais cresce, sendo, no entanto, prejudicial em meses subsequentes às fortes chuvas devido ao efeito de saturação hídrica do solo.

bitstream/item/168869/1/2017-PauloB-CF-Dendroecologia.pdf
Tipo:  Artigo em periódico indexado (ALICE)
Idioma:  Português
Identificador:  56153

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1082370
Editor:  Ciência Florestal, Santa Maria, v. 27, n. 4, p. 1201-1215, out./dez. 2017.
Relação:  Embrapa Florestas - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional