Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Cryptococcus laurentii aplicado em pós-colheita reduz podridões em maçãs.
Autores:  BLUM, L. E. B.
AMARANTE, C. V. T.
VALDEBENITO-SANHUEZA, R. M.
GUIMARÃES, L. S.
DEZANET, A.
HACK NETO, P.
Data:  2009-06-04
Ano:  2004
Palavras-chave:  Pezicula malicorticis
Doença de Planta
Fruticultura
Maçã
Penicillium Expansum
Resumo:  As podridões pós-colheita podem ocasionar perdas substanciais em maçãs (Ma/us domestica). O mofo azul (Penicillium expansum), a podridão amarga (G/omere//a cingu/ata) e a podridão olho-de-boi (Pezicu/a maliconicisi estão entre as mais comuns. Grande atenção tem sido dada ao uso de alternativas de controle às doenças pós-colheita. A aplicação pós-colheita de leveduras, como o Cryptococcus laurentii, é uma das opções. Neste estudo testou-se a eficiência de C. laurentii (isolado 36) para o controle de podridões em maçãs 'Fuji ' e 'Gala'. Após aplicação dos produtos, através de imersão, os frutos foram armazenados em laboratório (15-20 °e / 60-70% UR) ou em câmara fria (I °e / 90-95% UR). Os patógenos foram inoculados na concentração de 102 conídios rnl', a levedura a 107 células ml e os fungicidas a 150 mg I". Em testes de laboratório, a aplicação de C. laurentii reduziu as podridões (G. cingulata, P expansum e P ma/icorticis) da maçã tanto quanto os fungicidas testados (thiabendazol e iprodione). Nos testes efetuados em câmara fria, constatou-se que, após o armazenamento, o tratamento de maçãs com C. laurentii foi tão eficiente quanto os tratamentos com fungicidas (thiabendazol, iprodione, digluconato de clorohexidina, dicloro-s-triazinatriona sódica, dicloroisocianurato de sódio e hipoclorito de sódio) na redução da podridão causada por P expansum. Aplicação de C. laurentii não alterou a firmeza de polpa nem o teor de sólidos solúveis totais (OBrix) dos frutos. Palavras-chave adicionais: Glomerella cingulata, Malus domestica, Penicillium expansum, Pezicu/a ma/icorticis. Post harvest application of Cryptococcus laurentii reduces apple fruit rots Rots might be responsible for substantial post harvest losses in apples (Ma/us domestica). The blue mold caused by Penicillium expansum, the bitter rot caused by Glomerella cingulata, and the 'bull's-eye rot' induced by Pezicu/a malicorticis are among of the most common rots. Great attention has been given to less environmental damaging alternatives for the control of postharvest diseases. The post harvest application of east-like fungi, such as Cryptococcus laurentii, is one option for controlling fruit rot. This study was carried out to test the efficiency of C. laurentii on fruit rot control in 'Fuji' and 'Gala' apples. After application oftreatments, by immersion, the fruits were stored in the laboratory (15-20 "C / 60- 70% RH) or in cold storage (I °e / 90-95% RH). The pathogens were applied at a concentration of 102 conidia ml', the yeast at 107 cells rnl', and the fungicides at 150 mg I". The Cryptococcus laurentii was as efficient in reducing apple fruit rots (G. cingulata, P expansum, and P malicorticis) as were the fungicides thiabendazole and iprodione. In cold storage trials, C. laurentii was as efficient as the fungicides (thiabendazole, iprodione, chlorhexidine digluconate, sodium dichloro-s-triazinetrione, sodium dicloroisocyanurate, and sodium hypochloride) in reducing P expansum fruit rot. The application of C. laurentii did not affect flesh firmness and the total soluble solids content (OBrix) of the fruits.

bitstream/item/200488/1/11213-2004-p.433-436.pdf
Tipo:  Artigo em periódico indexado (ALICE)
Idioma:  Português
Identificador:  11213

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/543903
Editor:  Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 29, n. 4, p. 433-436, 2004.
Relação:  Embrapa Uva e Vinho - Artigo em periódico indexado (ALICE)
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional