Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Estrutura e distribuição espacial de uma população de Carapa guianensis Alblet em floresta de várzea do Estuário Amazônico.
Autores:  ISLA, C. L. da S.
DANTAS, A. R.
GUEDES, M. C.
LIRA-GUEDES, A. C.
EULER, A. M. C.
Data:  2018-09-14
Ano:  2018
Palavras-chave:  Distribuição espacial
Carapa Guianensis
Andiroba
Inventário Florestal
Resumo:  As florestas de várzeas do estuário amazônico possuem uma rica biodiversidade de espécies vegetais com grande potencial não madeireiro. Carapa guianensis Alblet, pertencente à família Meliaceae, conhecida pelos ribeirinhos como andiroba, é uma das espécies mais representativas da floresta. O óleo extraído de suas sementes possui propriedades medicinais - auxiliando no tratamento de úlceras, eczema, disenteria, diarreia e no combate de células tumorais ? e tem utilidade na fabricação de sabões, velas e inseticidas. O objetivo do estudo foi determinar a estrutura e distribuição espacial das andirobeiras da Área de Proteção Ambiental (APA) da Fazendinha, a fim de dar início ao Plano de Manejo florestal comunitário para a produção de sementes. A APA, localizada no município de Macapá/Amapá (0°03?04,24?S, 51°07?42,72?W), possui 136,56 ha de floresta de várzea banhada pelo rio Amazonas. Na área de estudo foi realizado inventário 100%, mensurando os indivíduos com DAP (diâmetro a altura do peito) ≥5cm. Os indivíduos foram georreferenciados utilizando GPS com precisão de 3 m e suas alturas mensuradas com trena a laser. O Levantamento de Campo consistiu no mapeamento, plaqueteamento e caracterização ? identificação de altura, DAP, PS (posição sociológica), produção, presença/ausência de cipó ? da população. Os dados coletados foram sistematizados utilizando o Excel/Windows. A distribuição diamétrica foi calculada pela formula de Sturger e os indivíduos agrupados em 10 classes de DAP, apresentando DAP mínimo de 15 cm, DAP máximo de 350 cm e DAP médio de 93,54 cm. Verificou-se que as menores classes diamétricas apresentaram maiores quantidades de indivíduos - padrão de distribuição ?J-invertido? ? indicando grande potencial regenerativo. A distribuição espacial foi analisada através da Função K de Ripley com 1000 simulações Monte Carlo, utilizando o pacote Splancs do programa R para determinação da distribuição espacial. Observou-se que a população de andirobeiras da APA da Fazendinha apresenta distribuição completamente agrupada, rejeitando-se a hipótese nula de completa aleatoriedade espacial. O agrupamento dos indivíduos tem grande relação com a dispersão hidrocórica, pois a maré do rio carrega grande quantidade de sementes, agrupando-as em montes de serapilheira. Assim, uma vez que a distribuição espacial é completamente agrupada e que a floresta apresenta regeneração natural, verifica-se que são pequenos os riscos ambientais do plano de manejo (Embrapa Amapá).

bitstream/item/183013/1/CPAF-AP-2018-Estrutura-e-distribuicao-espacial-de-uma-populacao-de-Carapa.pdf
Tipo:  Resumo em anais de congresso (ALICE)
Idioma:  Português
Identificador:  18002

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1095733
Editor:  In: CONGRESSO FLORESTAL LATINO-AMERICANO, 7., 2018, Vitória. [Anais]. [S.l.]: Even3, 2018.
Relação:  Embrapa Amapá - Resumo em anais de congresso (ALICE)
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional