Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  IPB - Escola Superior Agrária
País:  Portugal
Título:  Caracterização e avaliação da actividade antifúngica de méis escuros e claros do Nordeste de Portugal.
Autores:  Estevinho, Leticia M.
Pereira, Ana Paula
Morais, Margarida
Moreira, Leandro
Pereira, J.A.
Data:  2011-05-26
Ano:  2009
Palavras-chave:  Mel
Leveduras patogénicas
Segurança microbiológica
Caracterização físico-química
Actividade antifúngica
Resumo:  O mel é consumido em larga escala no mundo inteiro e desempenha um papel importante na dieta humana, sendo também utilizado nas indústrias alimentar, farmacêutica e de cosméticos. A composição do mel é variável e depende da fonte floral usada na recolha do néctar, do clima, das condições ambientais e sazonais, bem como do manuseamento e do processamento. A qualidade do mel é determinada pelas suas propriedades sensoriais físicas e químicas. Estas propriedades são avaliadas através de parâmetros estabelecidos na legislação. Os objectivos deste trabalho foram a caracterização fisico-química, microbiológica e polínica de dois tipos de méis, claro e escuro, produzidos na região de Trás-os-Montes (nordeste de Portugal). Avaliou-se ainda a sua actividade antifúngica em Candida albicans, Candida krusei e Cryptococcus neoformans. Os parâmetros fisico-químicos avaliados foram os estabelecidos na norma do Codex Álimentarius e no Decreto-Lei 214/2003 de 18 de Setembro, e incluem pH, humidade, condutividade eléctrica, cinzas, acidez total, HMF (hidroximetilfuitral), índice diastásico, açúcares redutores e sacarose aparente. Todas as amostras analisadas respeitaram os limites legais estabelecidos, no entanto, observaram-se diferenças significativas entre os dois tipos de mel para todos os parâmetros determinados, excepto para o pH. De um modo geral, todas as amostras analisadas evidenciaram níveis de segurança aceitáveis para o consumidor, com números reduzidos de microrganismos mesofílicos, bolores e leveduras, não tendo sido detectados esporos de clostrídios sulfito-redutores. A análise polínica revelou que ambos os méis são monoflorais, sendo o pólen de Erica sp. o predominante nos méis escuros e o de Lavandulia sp. o mais abundante nos méis claros. O crescimento de todas as leveduras estudadas foi afectado na presença de mel, sendo C. neoformans a levedura mais susceptível. Os méis escuros demonstraram maior actividade antifúngica.
Tipo:  ConferenceObject
Idioma:  Português
Identificador:  Estevinho, L.M.; Pereira, A.P.; Morais, M.; Moreira, L.L.; Pereira, J.A. (2009) - Caracterização e avaliação da actividade antifúngica de méis escuros e claros do Nordeste de Portugal. In Actas do 9º Encontro de Química dos Alimentos “Qualidade e Sustentabilidade”. Angra do Heroísmo.

http://hdl.handle.net/10198/4591
Direitos:  open access
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional