Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Resistência de genótipos de meloeiro à mosca-minadora, liriomyza sativae blanchard (diptera: agromyzidae).
Autores:  OLIVEIRA, J. M.
Data:  2018-12-19
Ano:  2017
Palavras-chave:  Não-preferência
Voláteis
Cucumis Melo
Antibiosis
Trichomes
Resumo:  A mosca-minadora (Liriomyza sativae) hoje é considerada uma das principais pragas do meloeiro no Brasil, o que vêm estimulando o uso abusivo de inseticidas para contornar os problemas ocasionados pela praga. Neste sentido, o uso de cultivares resistente é uma alternativa promissora. Assim, a presente pesquisa objetivou avaliar a resistência de genótipos de meloeiro em relação a mosca-minadora. Para tanto, avaliou-se 21 genótipos de meloeiro, provenientes do Programa de Melhoramento Genético de Meloeiro da Embrapa, e o híbrido comercial ?Goldex? testemunha. Avaliaram-se a não-preferência por oviposição e alimentação, em testes com e sem chance de escolha; o efeito de antibiose dos genótipos através da viabilidade larval e pupal; assim como número de tricomas e compostos voláteis presentes nas folhas. Para avaliação, foram selecionados os seguintes genótipos AC 35, AC 43, 341, 343, 333 e o hibrido Goldex, para caracterização morfológica das folhas (adaxial e abaxial) e liberação de compostos voláteis. Realizou-se a quantificação de tricomas em Microscópio Eletrônico de Varredura (MEV), onde o número de tricomas foi quantificado e correlacionado com a oviposição e alimentação da praga. As análises de voláteis nas folhas de meloeiro foram realizadas utilizando-se da técnica da microextração em fase sólida acoplada a cromatografia gasosa com espectrometria de massa (SPME-GC-MS). Quanto à não-preferência para oviposição (número de puncturas de oviposição) e alimentação (número de puncturas de alimentação), não houve diferença entre os genótipos e a testemunha Goldex, em teste com chance de escolha. Porém, no teste em confinamento, os genótipos 343 e AC 43 foram os menos ovipositados por L. sativae, com valores médios de 0,9 e 1,3 respectivamente; enquanto, o genótipo 343 foi o menos preferido para alimentação, com 0,7 puncturas de alimentação/4cm de diâmetro. Quanto a viabilidade larval e pupal, nove genótipos mostraram-se mais promissores: 339, 346, 343, 341, 334, 331, 333, 313 e 330, sendo encontrado um possível efeito de antibiose nesses tratamentos. Em relação à densidade de tricomas, não houve diferença entre os tratamentos e não foi encontrado correlação entre a densidade (adaxial e abaxial) e o número de puncturas de oviposição e alimentação. Para a análise de voláteis das folhas, obteve-se um total de dez compostos voláteis distribuídos entre os tratamentos. A partir deste estudo sugere- se haver resistência, do tipo antibiose nos nove genótipos, citados acima, e a presença de algum grau de antixenose nos genótipos 343 e AC43, porém os tricomas e os compostos voláteis identificados nos genótipos de meloeiro, não apresentam ação antixenótica para oviposição e alimentação de L. sativae.

bitstream/item/188925/1/Dissertacao-Josielma.pdf

Dissertação (Mestrado em Agronomia/Fitotecnia) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. Orientadora: Nivia da Silva Dias-Pini.
Tipo:  Tese/dissertação (ALICE)
Idioma:  Português
Identificador:  15805

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1102019
Editor:  2017
Relação:  Embrapa Agroindústria Tropical - Tese/dissertação (ALICE)
Formato:  55 p.
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional