Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Representações dos proprietários e funcionários de fazendas sobre as mudanças e conservação da vegetação ciliar às margens do rio São Francisco, Nordeste do Brasil.
Autores:  SILVA, T. C. da
RAMOS, M. A.
ALVAREZ, I. A.
KIILL, L. H. P.
ALBUQUERQUE, U. P. de
Data:  2012-04-24
Ano:  2011
Palavras-chave:  Agricultura irrigada
Etnobiologia
Mudança de paisagem
Semiárido
Código florestal
Planta nativa.
Caatinga
Vegetação
Meio ambiente
Mata Ciliar.
Vegetation
Resumo:  No Brasil, foi marcante a ocupação de grupos humanos em áreas com potencial hídrico elevado para o desenvolvimento da agricultura irrigada. Neste contexto, inseri-se o rio São Francisco, que vem passando por constantes mudanças em relação à sua cobertura vegetal original. O presente estudo buscou responder as seguintes perguntas: Como fazendeiros e funcionários representam as possíveis mudanças da vegetação ciliar ao longo do tempo? Quais os eventos históricos responsáveis por essas possíveis mudanças? Como os fazendeiros e funcionários representam os aspectos relacionados às utilidades e à conservação da vegetação ciliar? Um total de 17 homens e oito mulheres, proprietários e funcionários de áreas próximas à vegetação ripária em cinco municípios dos estados da Bahia e Pernambuco, participaram da pesquisa. Entrevistas semiestruturadas e entrevista semiestruturada do tipo projetiva foram empregadas para investigar as representações sobre conservação da mata ciliar e mudanças locais da paisagem, bem como resgatar os eventos históricos que as influenciaram. Com o objetivo de registrar o conhecimento local sobre a diversidade de espécies úteis mais importantes foi utilizada a técnica de lista livre. Em relação às modificações da paisagem verificou-se que apenas um entrevistado afirmou não haver mudanças na vegetação ciliar, seis afirmaram que houve mudanças para pior e quatro para melhor. Quatro proprietários responderam que as mudanças na vegetação iniciaram há 10 anos, seis há mais de 30 anos, dois não sabiam e um não verificou mudanças. Entre os funcionários, cinco afirmaram que elas ocorreram há mais de 20 anos, quatro há mais de 10 anos e para quatro deles a vegetação não mudou. Observou-se que todos os informantes concordaram que a vegetação deve ser conservada, sendo que 64% destacaram que ela protege o rio e os outros 36% indicaram outras utilidades para a vegetação ciliar, tais como: atrair chuva, fazer sombra, usos medicinais e aumentar a quantidade de oxigênio. Sobre quem seriam os responsáveis pela conservação: 48% disseram que eram os próprios proprietários de terras, 48% afirmaram que era dever de todos conservar e 4% atribuíram a responsabilidade ao IBAMA. Eles também apontaram soluções para a conservação da vegetação ripária, como o reflorestamento (39%), não desmatar (17%), educação ambiental (13%) e cuidar bem (13%). Futuros projetos de restauração que podem vir a ocorrer nessa área devem levar em consideração essas diferentes representações, demandas e expectativas.
Tipo:  Artigo de periódico
Idioma:  Português
Identificador:  Sitientibus - Série Ciências Biológicas, v. 11, n. 2, p. 279-285, 2011.

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/922874
Direitos:  openAccess
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional