Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Ordenar por: RelevânciaAutorTítuloAnoImprime registros no formato resumido
Registros recuperados: 4
Primeira ... 1 ... Última
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Dimorfismo sexual da traquéia e siringe de periquito (Touist sp.) Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Bottino,F.; Artoni,S.M.B.; Oliveira,D.; Pacheco,M.R.; Amoroso,L.; Tovar,M.C.H.; Sagula,A..
Investigaram-se as diferenças morfológicas da siringe do periquito Touist sp, cinco machos e cinco fêmeas. A traquéia e a siringe foram dissecadas com o auxílio de uma lupa estereoscópia e avaliaram-se o número de anéis, o comprimento da traquéia e da siringe e o comprimento e espessura do músculo traqueolateral. A traquéia do macho apresentou maior número de anéis e maior comprimento que a das fêmeas. O músculo traqueolateral dos machos é mais vigoroso e origina-se no 43º anel traqueal enquanto o das fêmeas origina-se no 30º anel traqueal e se insere no primeiro anel bronquial. A siringe do piriquito é constituída por anéis craniais, cinco nos machos e três nas fêmeas, anéis intermediários, com formato semelhante a uma bolha sulcada ventralmente, anéis...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Ave; Periquito; Siringe; Traquéia; Vocalização.
Ano: 2007 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352007000600022
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Estrutura, ultraestrutura e morfometria da aorta de paca (Cuniculus paca, Linnaeus, 1766) criada em cativeiro Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Garcia Filho,S.P.; Martins,L.L.; Reis,A.C.G.; Pacheco,M.R.; Machado,M.R.F..
Descreveram-se a morfologia, morfometria e ultraestrutura de segmentos das porções torácica e abdominal da aorta de quatro pacas (Cuniculus paca) adultas. Os segmentos aórticos foram analisados à microscopia de luz e à microscopia eletrônica de varredura. Mensuraram-se as espessuras do complexo formado pelas túnicas íntima e média, além da túnica adventícia. Os valores referentes à espessura do complexo formado pelas túnicas íntima e média da aorta torácica cranial foram significativamente maiores (média: 702,19µm) que os valores de outros segmentos aórticos analisados (médias: 354,18µm; 243,55µm). As camadas das paredes do vaso apresentaram variações entre si quanto à estrutura e espessura, supostamente em razão de adaptação à exigência funcional.
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Paca; Roedor; Histologia; Histricomorfo; Ultraestrutura.
Ano: 2012 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352012000300011
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Morfologia do útero de cutias nulíparas e não nulíparas Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Martins,L.L.; Biagioni,M.M.; Oliveira,F.S.; Toniollo,G.H.; Pacheco,M.R.; Machado,M.R.F..
Descreveu-se a morfologia do útero de cutias nulíparas e não nulíparas por meio de ovariossalpingoisterectomia. A análise macroscópica do útero foi realizada in loco e na peça retirada. Segmentos das porções proximal, média e distal do órgão foram colhidas, fixadas e preparadas histologicamente, sendo as amostras analisadas à microscopia de luz, e realizada a histomorfometria das camadas uterinas. Topograficamente, o útero localiza-se na região sublombar, caudalmente aos rins, em continuação aos ovários e às tubas uterinas, estendendo-se até à entrada da pelve, onde se posiciona dorsalmente à bexiga. Caracteriza-se como do tipo duplo, embora culmine em apenas um óstio cervical externo. Microscopicamente, a mucosa uterina é formada por variações do...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Dasyprocta azare; Roedor; Histricomorfo; Anatomia; Histologia.
Ano: 2011 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352011000200009
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Morfologia e histologia do oviduto de marrecas Ana boschas Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Moraes,C.; Baraldi-Artoni,S.M.; Pacheco,M.R.; Nishizawa,M.; Nakaghi,L.S.O..
Avaliaram-se o comprimento do infundíbulo, do magno, do istmo, do útero e da vagina e o número de pregas do magno e do istmo do oviduto de 20 marrecas Ana boschas na fase reprodutiva. O infundíbulo apresenta mucosa com pregas longitudinais e baixas, revestidas por epitélio pseudoestratificado cilíndrico ciliado, com células caliciformes. O magno, compartimento mais longo do oviduto, 25,38cm±3,20, encontra-se constituído por uma camada mucosa com pregas altas e espessas revestidas por células cilíndricas ciliadas e abundantes células caliciformes. O istmo é formado por uma mucosa com pregas estreitas e curtas e numerosas glândulas tubulares que se estendem para o interior da lâmina própria. O útero, região curta do oviduto, 5,25cm±1,26, apresenta parede com...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Marreca; Morfologia; Histologia; Sistema reprodutor.
Ano: 2010 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352010000200008
Registros recuperados: 4
Primeira ... 1 ... Última
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional