Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Ordenar por: RelevânciaAutorTítuloAnoImprime registros no formato resumido
Registros recuperados: 31
Primeira ... 12 ... Última
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Anatomia dos órgãos vegetativos e do escapo floral de Leiothrix crassifolia (Bong.) Ruhl., Eriocaulaceae, da Serra do Cipó-MG Acta Botanica
Scatena,Vera Lúcia; Rocha,Clélio Lázaro de Melo.
L. crassifolia (Eriocaulaceae) é uma planta perene, que cresce nos solos pedregosos e arenosos dos campos rupestres da Serra do Cipó - MG - Cadeia do Espinhaço. Essa planta está exposta a períodos secos e chuvosos, ventos constantes, alta luminosidade e mudanças bruscas de temperatura, características climáticas peculiares dos campos rupestres. Sua caracterização anatômica tem aplicação taxonômica para o grupo e suas estruturas são adaptadas aos fatores ambientais. A raiz apresenta parênquima cortical formado por dois tipos de células, que formam o aerênquima lisígeno, facilitando sua sobrevivência nos solos alagados durante a estação chuvosa. A endoderme é formada for uma única camada de células de paredes espessas. As estrias de Caspary são detectadas...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Anatomia; Leiothrix crassifolia; Campo rupestre; Eriocaulaceae.
Ano: 1995 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33061995000200002
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Anatomy and fructan distribution in vegetative organs of Dimerostemma vestitum (Asteraceae) from the campos rupestres Anais da ABC (AABC)
Silva,Taiza M.; Vilhalva,Divina A.A.; Moraes,Moemy G.; Figueiredo-Ribeiro,Rita de Cássia L..
Among the compounds stored by plants, several functions are assigned to fructans, such as source of energy and protection against drought and extreme temperatures. In the present study we analyzed the anatomy and distribution of fructans in vegetative organs of Dimerostemma vestitum (Asteraceae), an endemic species from the Brazilian campos rupestres. D. vestitum has amphistomatic and pubescent leaves, with both glandular and non-glandular trichomes. In the basal aerial stem the medulla has two types of parenchyma, which differ from the apical portion. The xylopodium has mixed anatomical origin. Interestingly, although inulin-type fructans with high degree of polymerization were found in all analyzed organs except the leaves, the highest amount and maximum...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Campo rupestre; Fructans; Inulin spherocrystals; Secretory structures; Xylopodium.
Ano: 2015 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0001-37652015000200797
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Angiosperm disjunction "Campos rupestres - restingas": a re-evaluation Acta Botanica
Alves,Ruy José Válka; Cardin,Leonora; Kropf,Marcela Stuker.
A disjunct distribution pattern between the extrazonal formations of the campos rupestres (rocky grasslands) in the Espinhaço mountain range and the restingas (coastal strand vegetation) in Brazil has been proposed repeatedly for several flowering-plant species. In order to validate this distribution pattern, available data from the literature and major herbaria were compiled and evaluated. Some of these species also occur in campos rupestres on mountain ranges in Goiás state, campos de altitude (high altitude grasslands) of the Serra do Mar, and on geologically homologous rocky formations of the Guyana shield. Species that were also recorded for distinct zonal formations like cerrado, caatinga and forests were excluded from the pattern. The campo...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Disjunction; Campo rupestre; Restinga; Phytogeography; Floristics.
Ano: 2007 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062007000300014
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Comportamento germinativo de duas espécies de canga ferrífera: Baccharis retusa DC. (Asteraceae) e Tibouchina multiflora Cogn. (Melastomataceae) Acta Botanica
Garcia,Letícia Couto; Barros,Fernanda de Vasconcellos; Lemos Filho,José Pires.
O objetivo desse estudo foi avaliar o comportamento germinativo de Bacccharis retusa e Tibouchina multiflora, espécies que ocorrem na vegetação de canga no Quadrilátero Ferrífero de Minas Gerais. Diásporos coletados no município de Barão de Cocais foram colocados para germinar nas temperaturas de 15, 20, 25 e 30 ºC na presença de luz contínua ou no escuro. As sementes mantidas inicialmente no escuro foram posteriormente transferidas para a presença de luz, mantendo-se as mesmas temperaturas. Os diásporos das duas espécies apresentaram comportamento fotoblástico positivo, com germinação inexpressiva no escuro em todas as temperaturas testadas. Na presença de luz contínua as sementes de T. multiflora não apresentaram diferenças na porcentagem final de...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Banco de sementes; Campo rupestre; Fotoblastismo; Luz; Temperatura.
Ano: 2006 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062006000200019
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Diversidade florística de Rubiaceae na Serra da Fumaça – complexo de Serras da Jacobina, Bahia, Brasil Biota Neotropica
Sousa,Luzicléia Araújo; Bautista,Hortensia Pousada; Jardim,Jomar Gomes.
Este trabalho consiste no levantamento das espécies de Rubiaceae encontradas na Serra da Fumaça - complexo de Serras da Jacobina, Bahia. No período de junho de 2011 a agosto de 2012 foram realizadas coletas mensais de material botânico ao longo de trilhas e no interior da floresta contemplando todas as fitofisionomias existentes na área. Foram registradas 36 espécies distribuídas em 20 gêneros. Os gêneros mais representativos em número de espécies foram Borreria G.Mey. (5 spp.), Diodella Small, Mitracarpus Zucc. exSchult. & Schult.f. e Psychotria L. (3 spp. cada), seguidas porCoccocypselum P.Browne, Declieuxia Kunth,Palicourea Aubl., Perama Aubl., Richardia L. eStaelia Cham. & Schltdl. (2 spp. cada). Os demais gêneros foram representandos por...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Taxonomia; Caatinga; Campo rupestre; Floresta estacional; Chapada Diamantina.
Ano: 2013 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032013000300289
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Diversity of bacteria isolated from legume nodules cultivated in soils from a tropical mountain ecosystem. Repositório Alice
CARVALHO, F. de; MOREIRA, F. M. S.; CARVALHO, T. S.; SOUZA, F. A. de; FARIA, S. M. de.
2014
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Campo rupestre; Rizóbio; Solo; Biodiversidade; Rhizobium.
Ano: 2014 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/1043476
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Efeitos de choques térmicos na germinação de Paepalanthus speciosus Koern. (Eriocaulaceae) Acta Botanica
Sá e Carvalho,C. G.; Ribeiro,M. C..
Sementes de Paepalanthus speciosus Koern. - Eriocaulaceae, contidas em frutos nus e no diásporo, apresentaram tolerância a choques térmicos de até 70ºC por 30 minutos e essa capacidade não foi modificada quando as temperaturas foram fornecidas após 24 horas de einbebição. Observou-se também que o fotoblastismo das sementes não foi alterado por tratamento com temperaturas de 35 a 80ºC durante 30 minutos. Os resultados obtidos mostram que sementes de P. speciosus possuem elevada capacidade de sobrevivência à temperatura atingida durante as queimadas que ocorrem anualmente nos campos cerrados.
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Paepalanthus speciosus; Eriocaulaceae; Germinação; Fotoblastismo; Campo rupestre.
Ano: 1994 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33061994000200005
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Fenologia reprodutiva de Prepusa montana Mart. (Gentianaceae) em uma área de campo rupestre da Chapada Diamantina, BA, Brasil Rev. Bras. Bot.
Coelho,Aline; Machado,Caio Graco.
Foram investigadas as estratégias fenológicas de floração e frutificação de Prepusa montana Mart. em uma área de campo rupestre da Chapada Diamantina e a sua influência pela pluviosidade, umidade relativa do ar, temperatura e fotoperíodo. Foram registrados os números de flores, botões e frutos maduros desta espécie, em visitas mensais ao Parque Municipal de Mucugê, em Mucugê, BA, de junho de 2006 a agosto de 2007. Os dados das variáveis ambientais (precipitação média acumulada, temperatura média e umidade relativa do ar) foram coletados em Mucugê e o fotoperíodo da área foi calculado por dados geográficos. Prepusa montana apresentou floração anual com duração intermediária, ocorrendo na época seca. A fenofase de floração não apresentou correlação com a...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Campo rupestre; Chapada Diamantina; Fenologia reprodutiva; Gentianaceae; Prepusa montana.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042009000200018
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Flora de Grão-Mogol, Minas Gerais: Flacourtiaceae. Repositório Alice
ASSIS, M. C. de.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE) Palavras-chave: Árvore; Arbusto; Casearia altiplanensis; Casearia arborea; Casearia commersoniana; Casearia eichleriana; Casearia sylvestrisCaatinga; Cerrado; Campo rupestre.
Ano: 2004 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/15516
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Flora vascular não-arbórea de uma floresta de grota na Serra da Mantiqueira, Zona da Mata de Minas Gerais, Brasil Biota Neotropica
Menini Neto,Luiz; Matozinhos,Carolina Nazareth; Abreu,Narjara Lopes de; Valente,Arthur Sérgio Mouço; Antunes,Kelly; Souza,Filipe Soares de; Viana,Pedro Lage; Salimena,Fátima Regina Gonçalves.
A região da Serra Negra constitui um importante remanescente de floresta atlântica situado no sul da Zona da Mata mineira, na Serra da Mantiqueira, composta por um mosaico de campos rupestres (nos afloramentos de quartzito) a arbustais nebulares, florestas estacionais semideciduifólias a perenifólias e florestas nebulares, de ambientes inferomontanos a superomontanos ripícolas a interfluviais. A área de estudo é um fragmento de floresta de grota (floresta perenifólia ripícola), de aproximadamente 0,9 ha, situada no Cânion do Ribeirão do Funil, na Vila do Funil, município de Rio Preto, localizada no sul da Serra Negra. O presente trabalho foi realizado entre os anos de 2004 e 2009 e teve como objetivos o conhecimento da flora vascular não-arbórea, a...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Serra Negra; Floresta atlântica; Campo rupestre; Florística; Ervas; Arbustos; Lianas; Epífitas.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032009000400015
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Florística e caracterização da vegetação da Toca dos Urubus, Baependi, Minas Gerais, Brasil Biota Neotropica
Ferreira,Fabrício Moreira; Forzza,Rafaela Campostrini.
A Toca dos Urubus localiza-se no município de Baependi, sul de Minas Gerais, e faz parte da região do Alto Rio Grande. Sua cobertura vegetal compreende um mosaico formado por cerrado, campo rupestre e floresta estacional semidecidual. Foi realizado um levantamento florístico, restrito às espécies vasculares, e uma descrição das três fisionomias encontradas na área. Foram registradas 403 espécies (395 angiospermas e 8 pteridófitas) distribuídas em 77 famílias e 260 gêneros. As famílias mais ricas em número de espécies foram Asteraceae (66 spp.), Poaceae (52 spp.), Fabaceae (32 spp.), Cyperaceae (19 spp.), Melastomataceae e Rubiaceae (16 spp.). O cerrado apresentou o maior número de espécies (322 spp.), seguido pelo campo rupestre (247 spp.) e pelo fragmento...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Flora; Campo rupestre; Cerrado; Floresta estacional semidecidual; Serra da Mantiqueira.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032009000400014
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Four new species in Habenaria (Orchidaceae) from the Espinhaço Range, Brazil. Repositório Alice
BATISTA, J. A. N.; VALE, A. A.; CARVALHO, B. M.; PROITE, K.; RAMALHO, A. J.; MUNHOZ, A. C. D.; BERG, C. van den; BIANCHETTI, L. B..
bitstream/item/180665/1/036364416x691858.pdf
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE) Palavras-chave: Campo rupestre; Endemism; Minas Gerais; Phylogenetic analysis.
Ano: 2016 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1059112
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Gesneriaceae da Cadeia do Espinhaço de Minas Gerais, Brasil Rev. Bras. Bot.
Araujo,Andréa O; Souza,Vinicius C; Chautems,Alain.
Gesneriaceae é predominantemente tropical e compreende aproximadamente 3.000 espécies. A Cadeia do Espinhaço inclui parte dos Estados de Minas Gerais e Bahia e sua vegetação é dominada pelos campos rupestres. O Espinhaço de Minas Gerais tem seu limite norte no município de Espinosa e sul na Serra de Ouro Branco. O trabalho foi baseado no levantamento bibliográfico, consulta a herbários, coletas e observações de campo. O levantamento revelou a presença de 21 espécies, pertencentes a seis gêneros: Anetanthus, Codonanthe, Gloxinia, Nematanthus, Paliavana e Sinningia. São apresentados chaves de identificação, descrições e comentários dos táxons, mapas de distribuição das espécies na área de estudo e ilustrações.
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Cadeia do Espinhaço de Minas Gerais; Campo rupestre; Florística; Gesneriaceae; Taxonomia.
Ano: 2005 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042005000100010
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Ilhas de vegetação em afloramentos de quartzito-arenito no Morro do Pai Inácio, Chapada Diamantina, Bahia, Brasil Acta Botanica
Conceição,Abel Augusto; Giulietti,Ana Maria; Meirelles,Sérgio Tadeu.
Ilhas de vegetação rodeadas de superfície rochosa foram estudadas em dois platôs do Morro do Pai Inácio (41°28'W e 12°27'S), na Chapada Diamantina. Tais platôs possuem afloramentos de quartzito-arenito entremeados por solos arenosos e ácidos, situados nas porções mais elevadas do Morro, entre 1.100 e 1.170 m acima do nível do mar, sob clima com estação seca bem definida. As ilhas foram assumidas como agrupamentos de uma ou mais espécies de plantas vasculares limitados pela superfície rochosa sem plantas vasculares em toda borda. O estudo incluiu 39 ilhas de vegetação de diferentes tamanhos em cada platô, onde predominaram ervas e arbustos de 63 espécies, sendo 22 comuns a ambos os platôs. Espécies de Liliopsida foram mais numerosas, freqüentes e...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Campo rupestre; Fitossociologia; Afloramento rochoso; Inselberg; Ilha de vegetação.
Ano: 2007 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062007000200008
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Influence of vegetation physiognomy, elevation and fire frequency on medium and large mammals in two protected areas of the Espinhaço Range Rev. Bras. Zool.
Pinho,Fernando Ferreira de; Ferreira,Guilherme Braga; Paglia,Adriano Pereira.
ABSTRACT The objectives of this study were to determine the richness of medium and large mammal species in two protected areas of the Espinhaço Mountain Range, state of Minas Gerais, Brazil; and to investigate the factors affecting the occurrence of those species. To accomplish that we placed 49 camera traps activated by heat and motion at Rio Preto State Park (RPSP) and 48 at Sempre Vivas National Park (SVNP). We also collected data on three environmental variables: vegetation physiognomy, elevation and wildfire frequency, to evaluate the influence of these factors on species richness and use intensity (inferred from camera trap detection rate) by large mammals. We recorded 23 large mammal species in the two parks combined. The lowest species richness was...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Cerrado; Campo rupestre; Species richness; Use of habitat; Wildfire.
Ano: 2017 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-46702017000100300
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Influência da luz e da temperatura na germinação de sementes de Marcetia taxifolia (A. St.-Hil.) DC. (Melastomataceae) Acta Botanica
Silveira,Fernando A.O.; Negreiros,Daniel; Fernandes,G. Wilson.
Marcetia taxifolia (A. St.-Hil.) DC. (Melastomataceae) é um arbusto amplamente distribuído nos campos rupestres da Serra do Cipó, Brasil. É uma espécie com potencial na recuperação de áreas degradadas e este estudo apresenta os primeiros dados sobre o efeito da luz e da temperatura na germinação de suas sementes. Sementes foram coletadas em maio/2001 e foram submetidas a testes de germinação nas temperaturas constantes de 15, 20, 25, 30 e 35ºC sob fotoperíodo de 12 horas e em ausência de luz durante 30 dias. Foram encontradas diferenças significativas entre a percentagem de germinação e tempo médio de sementes submetidas ao tratamento claro e escuro a 15, 20, 25 e 30ºC (p < 0,05; todos). Sob a temperatura de 35ºC, a germinação foi completamente inibida....
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Campo rupestre; Fotoblastismo; Germinação de sementes; Serra do Cipó.
Ano: 2004 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062004000400015
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Less is more. Adjusting the taxonomy of the polytypic: Mimosa setosa (Leguminosae, Mimosoid). Repositório Alice
BORGES, L. M.; SIMON, M. F.; PIRANI, J. R..
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE) Palavras-chave: Campo rupestre; Fabaceae; Phylogenetic species Concept; Conceito filogenético de espécie; Cerrado.
Ano: 2017 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/1073580
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Longevity of the Brazilian underground tree Jacaranda decurrens Cham. Anais da ABC (AABC)
ALVES,RUY J.V.; SILVA,NiLBER G. DA; FERNANDES JUNIOR,ALUiSIO J.; GUIMARAES,ALESSANDRA R..
Underground trees are a rare clonal growth form. In this survey we describe the branching pattern and estimate the age of the underground tree Jacaranda decurrens Cham. (Bignoniaceae), an endangered species from the Brazilian Cerrado, with a crown diameter of 22 meters. The mean age calculated for the individual was 3,801 years, making it one of the oldest known living Neotropical plants.
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Bignoniaceae; Cerrado; Campo rupestre; Longevity; Underground trees.
Ano: 2013 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0001-37652013000200671
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Melastomataceae do Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brasil Rev. Bras. Bot.
ROMERO,ROSANA; MARTINS,ANGELA B..
O Parque Nacional da Serra da Canastra localiza-se no sudoeste do estado de Minas Gerais. O inventário florístico foi realizado de fevereiro de 1994 a janeiro 1998, totalizando 24 expedições, cobrindo todos os tipos fisionômicos de vegetação. As Melastomataceae são bastante representativas no Parque, com 95 espécies e 17 gêneros. Os gêneros mais numerosos são Miconia e Microlicia, com 21 e 19 espécies respectivamente, seguidos por Tibouchina, com 13, e Leandra, com 12 espécies. Cambessedesia e Trembleya apresentam quatro espécies, enquanto Siphanthera e Lavoisiera estão representados por três espécies cada, e Chaetostoma e Ossaea por duas. Os gêneros Clidemia, Macairea, Marcetia, Microlepis, Pterolepis e Rhynchanthera apresentam uma única espécie cada....
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Melastomataceae; Floristic survey; Campo rupestre; Serra da Canastra; Minas Gerais.
Ano: 2002 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042002000100004
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Morfologia e anatomia foliar de três morfotipos de Marcetia taxifolia (A. St.-Hil.) DC. (Melastomataceae) na Serra do Cipó, MG Rev. Bras. Bot.
Gardoni,Lívia Cristina de Paiva; Isaias,Rosy Mary dos Santos; Vale,Fernando Henrique Aguiar.
Nos campos rupestres da Serra do Cipó, MG, é possível distinguir morfotipos de M. taxifolia com intenso polimorfismo. Os objetivos deste estudo foram caracterizar e interpretar comparativamente a morfologia e a anatomia foliar de três morfotipos em condições de campo e cultivados, relacionando os fenótipos com variações ambientais. Os morfotipos foram denominados "Rosa", "Branco" e "Rosa Cristal" devido à cor das flores e ao aspecto do solo. Foram medidos no campo: altura da planta, área da copa, diâmetro da base caulinar e número de eixos caulinares. Em casa de vegetação, sementes de cada morfotipo germinaram em seu solo de origem e no dos outros dois morfotipos. Lâminas histológicas permanentes e temporárias de folha foram feitas para estudo anatômico....
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Anatomia; Campo rupestre; Marcetia taxifolia; Morfologia; Plasticidade fenotípica.
Ano: 2007 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042007000300013
Registros recuperados: 31
Primeira ... 12 ... Última
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional