Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Ordenar por: RelevânciaAutorTítuloAnoImprime registros no formato resumido
Registros recuperados: 12
Primeira ... 1 ... Última
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
CONTROLE de roedores na propriedade rural: importância e estratégias: programa 37: Centro-Oeste/Sudeste. Infoteca-e
Além de transmitir doenças aos seres humanos, os ratos podem trazer prejuízos aos produtores rurais. Como não existem formas de eliminar esses roedores completamente, é essencial mantê-los sob controle, adotando métodos estratégicos para diminuir sua presença na propriedade rural. O primeiro passo é identificar o tipo de roedor com o qual se está lidando: a ratazana, o rato preto ou o camundongo. A ratazana é grande, tem rabo curto, orelhas pequenas e se esconde principalmente em tocas. De porte médio, o rato preto vive em telhados e possui cauda longa. Já o camundongo é pequeno, vive dentro de residências e é bem ligeiro. O médico veterinário da Embrapa Suínos e Aves, Vitor Hugo Grings diz: "No aspecto econômico, podemos relacionar a presença dos ratos ao...
Tipo: Prosa Rural (INFOTECA-E) Palavras-chave: Ratazana; Roedor; Rato preto; Propriedade rural; Camundongo; Veneno.
Ano: 2008 URL: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/1015587
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
CONTROLE de roedores na propriedade rural: importância e estratégias: programa 37: Sul. Infoteca-e
Além de transmitir doenças aos seres humanos, os ratos podem trazer prejuízos aos produtores rurais. Como não existem formas de eliminar esses roedores completamente, é essencial mantê-los sob controle, adotando métodos estratégicos para diminuir sua presença na propriedade rural. O primeiro passo é identificar o tipo de roedor com o qual se está lidando: a ratazana, o rato preto ou o camundongo. A ratazana é grande, tem rabo curto, orelhas pequenas e se esconde principalmente em tocas. De porte médio, o rato preto vive em telhados e possui cauda longa. Já o camundongo é pequeno, vive dentro de residências e é bem ligeiro. O médico veterinário da Embrapa Suínos e Aves, Vitor Hugo Grings diz: "No aspecto econômico, podemos relacionar a presença dos ratos ao...
Tipo: Prosa Rural (INFOTECA-E) Palavras-chave: Ratazana; Roedor; Rato preto; Propriedade rural; Camundongo; Veneno.
Ano: 2008 URL: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/1016316
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Efeito protetor das frações proteicas do soro de leite em camundongos Balb/C infectados por Escherichia coli O157: H7 Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Teixeira,J.P.; Silva,N.; Fonseca,L.M..
Avaliou-se o efeito protetor das frações proteicas do soro do leite sobre as vilosidades intestinais de camundongos Balb/C, fêmeas, infectadas por Escherichia coli O157:H7. Foram utilizados 48 animais, distribuídos aleatoriamente em oito grupos de seis fêmeas cada um. Os animais dos grupos 1 e 2 (controles) receberam dieta AIN93G padrão; os dos grupos 3 e 4, AIN93G + alfalactalbumina; os dos grupos 5 e 6, AIN93G + betalactoglobulina e os dos grupos 7 e 8, AIN93G + concentrado proteico total e água ad libitum por sete dias. No dia zero, os animais dos grupos 2, 4, 6 e 8 foram inoculados, por meio de cânula de gavagem, com 0,5mL de E. coli O157:H7, na concentração de 7 x 10(10)UFC/mL. Os animais foram acompanhados clinicamente e sacrificados, no oitavo dia...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Camundongo; Alfalactalbumina; Betalactoglobulina; Vilosidade intestinal.
Ano: 2010 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352010000400010
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Influência de Agaricus blazei Murrill sobre o tumor sólido de Ehrlich e linfonodos poplíteos de camundongos Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Verçosa Junior,D.; Melo,M.M.; Cassali,G.D.; Dantas-Barros,A.M.; Silva Junior,P.G.P..
Estudou-se a influência do tratamento diário com filtrado aquoso de Agaricus blazei Murrill (ABM) (25mg/ml), via oral, por 17 e 57 dias, em camundongos inoculados com tumor sólido de Ehrlich (TSE) por meio da curva de crescimento tumoral, do peso relativo do tumor, da contagem de regiões organizadoras de nucléolos (AgNORs) e dos padrões histológicos das massas tumorais e linfonodos poplíteos. Os animais que ingeriram o extrato aquoso do ABM por 57 dias apresentaram menor (P<0,05) crescimento do TSE, no segundo e terceiro dias, fase inflamatória do crescimento tumoral. Quanto ao peso relativo das massas tumorais, valores de AgNORs, padrões morfoistopatológicos do TSE e ocorrência de processos metastáticos, não houve alteração significativa (P>0,05)...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Camundongo; Agaricus blazei; Tumor de Ehrlich; Histopatologia.
Ano: 2007 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352007000100025
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Intoxicação experimental com extratos de Mascagnia rigida (Malpighiaceae) em camundongos Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Melo,M.M.; Verçosa Júnior,D.; Pinto,M.C.L.; Silveira,J.B.; Ferraz,V.; Ecco,R.; Paes,P.R.O..
Foi realizado o fracionamento químico do extrato aquoso da Mascagnia rigida Griseb., uma importante planta tóxica no Brasil, para se obter cinco substratos ricos em diferentes grupos químicos - alcalóides, flavanóides, taninos, saponinas e açúcares, ácidos orgânicos e aminoácidos -, e investigar a toxicidade dessas frações, exceto a última, em 75 camundongos. Os animais, distribuídos aleatoriamente em cinco grupos, receberam: grupo I - alcalóides; grupo II - flavanóides; grupo III - taninos; grupo IV - saponinas e grupo V - placebo, este último funcionando como controle negativo. Todos os grupos, com exceção do grupo-controle, redistribuídos em três subgrupos, A, B e C, com cinco animais cada, receberam, respectivamente, 9g/kg, 18g/kg e 27g/kg de cada...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Camundongo; Mascagnia rigida; Perfil sangüíneo; Enzima muscular.
Ano: 2008 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352008000300017
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Investigação da atividade anti-helmintica da fava de peterodon emarginatus na evolução do strongyloides venezuelensis em camundongos e in vitro. Repositório Alice
COSTA, G. A.; FERNANDES, T. D.; SÁ, L. C. E. F.; OLIVEIRA, S. C. C.; ASSUNÇÃO, S. G.; COSTA, H. M. B. da; MENDES, V. S.; MALDONADE, I. R.; MACHADO, E. R..
2015
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Pterodon emarginatus; Camundongo; Extrato aquoso; Extrato hidroalcoólico; Oleo essencial.
Ano: 2015 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/1035631
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Kint3-4 promotes apoptosis and inhibition of angiogenesis in solid Ehrlich Tumor Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Souza,C; Carvalho,L.F.; Ferreira,M.A.N.D; Pesquero,J.L.; Cassali,G.D.
A proteína Kint3-4 (PKint3-4), codificadora da angiostatina, é reconhecida por sua potencialidade antiangiogênica. O presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito da proteína Kint3-4 no crescimento do tumor sólido de Ehrlich. Para isso, foram analisados a curva de desenvolvimento tumoral, o índice apoptótico e a dosagem de hemoglobina, a fim de se avaliar a angiogênese, em 20 camundongos Swiss fêmeas, inoculadas com o tumor sólido de Ehrlich em seus coxins plantares. Os resultados demonstraram a participação de PKint3-4 na indução à apoptose de células neoplásicas, na diminuição da concentração de hemoglobina e, principalmente, na diminuição do desenvolvimento tumoral. Sugere-se que a ação antitumoral, determinada pela sequência proteica utilizada,...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Camundongo; Tumor de Ehrlich; Kint3-4; Apoptose; Angiogênese; Caspase-3; Tumor de Ehrlich; Mice; Ehrlich tumor; Kint3-4; Apoptosis; Angiogenesis; Caspase-3.
Ano: 2012 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352012000300036
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Marcadores de proliferação celular na avaliação do crescimento do tumor sólido e ascítico de Ehrlich Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Silva,A.E.; Santos,F.G.A.; Cassali,G.D..
Twenty BALB/c mice were inoculated with cell suspension of Ehrlich tumor. Ten mice were inoculated in the cushion plant (solid form) and the other 10 in the peritoneum (ascitic form). Animals were euthanized on different times (7 and 14 days). Cytological and histological slides, immunohistochemical (PCNA) analysis and NORs silver impregnation technique were performed. The results showed more proliferation on the 7th day in the ascitic form and on 14th day in the solid form, using both analyses (PCNA and AgNORs). The alterations observed in the Ehrlich tumor’s proliferation activity suggested that the growth curve is different between ascitic and solid forms. In the first one, the proliferation peak occurs on the seventh day and in the solid tumor the...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Camundongo; Tumor de Ehrlich; AgNOR; PCNA.
Ano: 2006 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352006000400030
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Parâmetros morfofisiológicos testiculares de camundongos (Mus musculus) suplementados com geleia real Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Morais,A.C.T.; Barbosa,L.P.; Neves,M.M.; Matta,S.L.P.; Morais,D.B.; Melo,B.E.S..
Avaliaram-se os efeitos da geleia real sobre os parâmetros morfofisiológicos testiculares de camundongos (Mus musculus). Utilizaram-se 57 machos Swiss, com quatro meses de idade, distribuídos aleatoriamente em seis tratamentos: T1: solução fisiológica, via intraperitoneal; T2: 0,1mg de geleia real, via intraperitoneal; T3: 0,2mg de geleia real, via intraperitoneal; T4: água destilada, via oral; T5: 0,1mg de geleia real, via oral; e T6: 0,2mg de geleia real, via oral. Após 45 dias de suplementação com geleia real, os animais sacrificados e pesados tiveram seus testículos coletados, incluídos em parafina e corados com hematoxilina/eosina. Não houve diferença entre os tratamentos quanto aos: pesos corporal e testicular, índice gonadossomático, diâmetro...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/report Palavras-chave: Camundongo; Mus musculus; Geleia real; Testículo; Morfometria.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352009000100016
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Perfis clínico e hematológico de camundongos submetidos ao envenenamento escorpiônico experimental por Tityus fasciolatus Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Guimarães,P.T.C.; Pinto,M.C.L.; Melo,M.M..
Estudou-se o quadro clínico do veneno decorrente do envenenamento por Tityus fasciolatus e sua ação refletida nos componentes hematológicos no modelo murino. Para o estudo do perfil hematológico, foram utilizados 54 camundongos Swiss CF1, machos, com 30g, distribuídos em três grupos (G) (n=18) inoculados via subcutânea com: 50µL de PBS (G1); 24µg de veneno de T. fasciolatus (G2) e 8µg de veneno de T. serrulatus (G3). Cada grupo foi subdividido em três subgrupos (n=6) de acordo com o momento da coleta de sangue que foi estipulada em uma, oito e 24h após a inoculação do veneno, e foram realizados o hemograma e a dosagem de proteínas totais e fracionadas. O veneno de T. fasciolatus na dose de 24µg causou piloereção, comportamento nociceptivo, secreção nasal e...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Escorpião; Tityus fasciolatus; Hematologia; Alterações clínicas; Camundongo.
Ano: 2011 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352011000600015
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Surto de varíola murina em camundongos suíços em biotério: Relato de caso Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Diniz,S.; Trindade,G.S.; Fonseca,F.G.; Kroon,E.G..
Duzentos camundongos suíços foram alojados em um biotério com instalações e condições de manejo adequadas para uma criação de animais convencionais sadios. Após 14 dias de alojamento, dois animais tiveram morte súbita, e em 74 animais (37%) foram observados sintomas clínicos como edema da face e das patas. Uma semana após foram observadas lesões generalizadas na pele ou somente no dorso, na face, no focinho e nas patas, nódulos na cauda, e em cinco animais conjuntivite. A necropsia de 10 camundongos indicou alterações como hepatomegalia, esplenomegalia e hiperplasia dos gânglios. Amostras do fígado, baço e de lesões da cauda foram inoculadas em membrana corioalantóide (MCA) de ovos embrionados de galinha. Após 72 horas foram detectadas lesões necróticas...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Camundongo; Varíola murina; Poxvírus; Biotério.
Ano: 2001 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352001000200003
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Videocâmeras em biotérios de experimentação: importante ferramenta no controle da contaminação ambiental na microbiota de camundongos Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Muller,C.A.; Ramos,S.; Saisse,A.O.; Almosny,N.R.P..
O objetivo do presente estudo foi verificar a influência da contaminação ambiental na microbiota dos animais utilizados em experimentação, usando-se videocâmera como ferramenta de controle, a partir da comparação de dois biotérios de experimentação, sendo um protegido com presença de videocâmeras (A) e o outro não (B), quanto ao padrão microbiológico dos camundongos. Para os testes bacteriológicos, foram utilizadas amostras de 222 animais do biotério A e 236 do biotério B; para os testes virológicos, 119 do biotério A e 236 do biotério B; já para os exames parasitológicos, 158 do biotério A e 316 do biotério B. Os dados foram submetidos à análise descritiva e ao teste do Qui-quadrado. Verificou-se uma maior ocorrência de microrganismos e de parasitas no...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Camundongo; Biossegurança; Biotério; Contaminação; Microrganismos.
Ano: 2015 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352015000300689
Registros recuperados: 12
Primeira ... 1 ... Última
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional