Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Ordenar por: RelevânciaAutorTítuloAnoImprime registros no formato resumido
Registros recuperados: 100
Primeira ... 12345 ... Última
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Abundância, microhabitat e repartição ecológica de papa-formigas (Passeriformes, Thamnophilidae) na bacia hidrográfica do rio Tibagi, Paraná, Brasil Zoologia
Lopes,Edson V.; Volpato,Graziele H.; Mendonça,Luciana B.; Fávaro,Fernando de L.; Anjos,Luiz dos.
Neste estudo a riqueza e a abundância de Thamnophilidae foram avaliadas e correlacionadas com parâmetros ambientais em quatro áreas de floresta da bacia do rio Tibagi (B1, M1, A1 e A2) dispostas em um gradiente ambiental. Em cada área, foi caracterizada a vegetação e, para cada espécie, foram analisados: 1) o microhabitat, 2) a distribuição espacial e 3) o tempo investido em cada local de forrageio. O número de espécies foi semelhante entre as áreas, contudo, em B1 foi registrada maior abundância. A vegetação desta área apresentou valor de correlação relativamente baixo quando comparada as outras três, que apresentaram valores maiores entre si. Emaranhados de cipó em todos os estratos, estrato médio e superior denso e ocorrência de clareiras foram...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Distribuição espacial; Duração do forrageio; Floresta Atlântica; Microhabitat.
Ano: 2006 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81752006000200013
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Agaricales em áreas de Floresta Ombrófila Densa e plantações de Pinus no Estado de Santa Catarina, Brasil Acta Botanica
Karstedt,Fernanda; Stürmer,Sidney Luiz.
Os sistemas florestais de Santa Catarina são poucos estudados em relação à diversidade de Agaricales. O objetivo deste trabalho foi determinar e comparar a diversidade de Agaricales em dois sistemas florestais, no município de Joinville, SC. Parcelas de 20×20 m foram estabelecidas: três em Floresta Ombrófila Densa e três em plantações de Pinus. Basidiomas de fungos agaricóides foram coletados em janeiro, março, maio, julho, setembro e novembro/2004. Foram identificadas 40 espécies, 31 na Floresta e 10 nas plantações. A família mais representada foi Tricholomataceae, com 48% das espécies registradas na Floresta. As espécies com maior abundância relativa foram Camarophyllus buccinulus (41%) na Floresta e Lactarius cf. fragilis (53%) nas plantações. As mesmas...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Basidiomycetes; Floresta Atlântica; Pinus elliottii; Riqueza específica.
Ano: 2008 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062008000400014
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Alometria de plântulas e jovens de espécies arbóreas: copa x altura Biota Neotropica
Portela,Rita de Cássia Quitete; Santos,Flavio Antonio Maës dos.
Muitos caracteres morfológicos e de desenvolvimento de diferentes partes de uma planta variam dependendo da arquitetura da espécie, do microambiente, e do grau de restrição ecológica onde esta iniciou seu crescimento. Dentro deste contexto, este estudo teve como objetivo analisar a relação alométrica entre o maior eixo de copa e a altura, para a comunidade de plântulas e indivíduos jovens de espécies arbóreas com até 1 m de altura na Reserva Estadual do Morro Grande (23o35’S - 23o50’S; 46o45’W - 47o15’W), situada no Planalto Atlântico de São Paulo. Foram feitas seis transecções onde a cada 2,5 metros foi estabelecida uma parcela de 1x1m, totalizando 34 parcelas. Todos os indivíduos encontrados dentro das parcelas tiveram a altura e o maior eixo horizontal...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Alometria; Plântula; Copa; Altura; Floresta Atlântica.
Ano: 2003 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032003000200004
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Ampliando a densidade de coletas botânicas na região da bacia hidrográfica do Alto Paranapanema: Caracterização florística da Floresta Estadual e da Estação Ecológica de Paranapanema Biota Neotropica
Cielo-Filho,Roque; Baitello,João Batista; Pastore,João Aurélio; Aguiar,Osny Tadeu de; Souza,Silvana Cristina Pereira Muniz de; Toniato,Maria Teresa Zugliani; Lima,Conceição Rodrigues de; Ribeiro,Adriano Peres.
A necessidade de ampliação da densidade de coleta em escala nacional, tanto para subsidiar a identificação de áreas prioritárias para conservação como para ampliar o conhecimento sobre a biota do país, tem sido enfatizada em diversas análises recentes sobre a biodiversidade brasileira. No caso das plantas, a densidade de coleta em escala nacional (0,44 exsicatas/km²) está bem abaixo do considerado adequado para um conhecimento completo da flora (3 exsicatas/km²) ou mesmo para a avaliação da riqueza de uma determinada região (1 exsicata/km²). Análises recentes têm revelado que mesmo nas regiões Sul e Sudeste, dotadas de mais infra-estrutura e maior número de botânicos, a densidade de coletas é insatisfatória. No estado de São Paulo algumas regiões têm sido...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Floresta Atlântica; Floresta Semidecidual; Biodiversidade; Esforço de coleta; Formas de vida.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032009000300025
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Análise faunística de afídeos (Hemiptera, Aphididae) na Serra do Mar, Paraná, Brasil Rev. Bras. entomol.
Lazzarotto,Crisleide Maria; Lazzari,Sonia Maria Noemberg.
Foram coletados na Serra do Mar, Paraná, 8134 espécimes de afídeos pertencentes a 87 espécies usando armadilhas amarelas de água durante 13 meses em onze locais com um gradiente altitudinal entre 10 m sobre o nível do mar (s.n.m.) e 1000 m s.n.m. A ocorrência e a dominância dos afídeos foram correlacionadas com características ambientais de cada área, principalmente com a altitude, flora local e alterações antrópicas. O número mais elevado de espécimes foi entre 78 m e 555 m s.n.m., sendo a grande maioria das espécies classificada como raras. As espécies consideradas comuns coletadas em todos os locais foram as de hábito polífago e aquelas cujos hospedeiros preferenciais estavam presentes na área, como: Aphis spiraecola, Toxoptera aurantii, Brevicoryne...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Aphididae; Armadilha de Möericke; Ecologia de populações; Floresta Atlântica.
Ano: 2005 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0085-56262005000200012
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Anatomical features of growth rings in trees of the Atlantic rain forest in Parana State, Brazil. Repositório Alice
BOTOSSO, P. C.; MATTOS, P. P. de; FRANKLIN, G.; VELLOZO, R. C.; KUNIYOSHI, Y. S.; TEIXEIRA, L. L..
2004
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Araucaria angustifolia; Anel de crescimento; Anatomia; Floresta Atlântica; Paraná.
Ano: 2004 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/305550
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Anuros da Reserva Natural Salto Morato, Guaraqueçaba, Paraná, Brasil Biota Neotropica
Garey,Michel Varajão; Hartmann,Marília Teresinha.
O objetivo do presente estudo é apresentar a lista de espécies de anfíbios da Reserva Natural Salto Morato (RNSM), uma reserva de Mata Atlântica no Estado do Paraná, sul do Brasil. O parque está localizado no litoral norte do Paraná, na divisa com o Estado de São Paulo. Nós amostramos ambientes lênticos e lóticos, bromélias e serrapilheira durante os meses de setembro de 2006 a março de 2007. Na RNSM foram registradas 42 espécies de anfíbios anuros, pertencentes a nove famílias, sendo uma espécie endêmica da área de estudo. Nós registramos 14 modos reprodutivos dos anuros na área de estudo. Na RNSM, 50% das espécies de anuros ocorreram em mais de 50% das amostragens, 26% das espécies foram registradas entre 25-50% das amostragens e 24% das espécies foram...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Amphibia; Floresta Atlântica; Taxocenose; Modos reprodutivos; Riqueza.
Ano: 2012 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032012000400015
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Aporte de nutrientes pela serapilheira em uma área degradada e revegetada com leguminosas arbóreas Rev. Bras. Ciênc. Solo
Costa,G. S.; Franco,A. A.; Damasceno,R. N.; Faria,S. M..
O objetivo deste trabalho foi avaliar o aporte de nutrientes pela deposição de serapilheira em uma área degradada, que sofreu empréstimo de solo, após dez anos da sua revegetação com as leguminosas arbóreas: Mimosa caesalpiniifolia (sabiá), Acacia auriculiformis (acácia) e Gliricidia sepium (gliricídia); e outra área vizinha, um fragmento da mata Atlântica em crescimento secundário (capoeira). O trabalho foi realizado no campo experimental da Embrapa-Agrobiologia, Km 47, Seropédica, Rio de Janeiro. Na amostragem, utilizaram-se coletores circulares do material formador da serapilheira com área de 0,25 m², determinando-se os teores de nutrientes (N, P, K, Ca e Mg) e polifenóis. A quantidade de serapilheira depositada foi influenciada pelas espécies de...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Fixação biológica de nitrogênio; Decomposição; Floresta Atlântica; Solos degradados.
Ano: 2004 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-06832004000500014
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Araceae do Parque Estadual do Rio Doce, MG, Brasil Acta Botanica
Temponi,Lívia Godinho; Garcia,Flávia Cristina Pinto; Sakuragui,Cássia Mônica; Carvalho-Okano,Rita Maria de.
O presente trabalho consta do estudo taxonômico das espécies de Araceae que ocorrem no Parque Estadual do Rio Doce, com chaves dicotômicas, descrições e ilustrações botânicas. Foram realizadas excursões mensais de maio/1999 a abril/2000 para coleta do material botânico, ao longo de 11 trilhas preestabelecidas nas regiões central e sul do parque. São reconhecidas 13 espécies, pertencentes a oito gêneros, sendo Philodendron o mais representativo com três espécies. Quatro das espécies encontradas no Parque são novos registros para Minas Gerais: Asterostigma concinnum Schott, Heteropsis flexuosa (Kunth) G.S. Bunting, Philodendron speciosum Schott e Philodendron vargealtense Sakuragui.
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Araceae; Taxonomia; Floresta Atlântica; Parque Estadual do Rio Doce.
Ano: 2006 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062006000100009
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Armadilhas fotográficas na amostragem de mamíferos: considerações metodológias e comparação de equipamentos Zoologia
Srbek-Araujo,Ana C.; Chiarello,Adriano G..
A utilização de armadilhas fotográficas em estudos desenvolvidos no Brasil é recente. O alto custo dos equipamentos e os constantes gastos com material de consumo podem, em alguns casos, limitar o número de unidades e o tempo de amostragem. O presente estudo objetivou discutir questões metodológicas visando otimizar a utilização do equipamento no inventário de mamíferos, além de comparar dois modelos de armadilhas fotográficas. O estudo foi desenvolvido na Estação Biológica de Santa Lúcia, no centro-norte do estado do Espírito Santo entre janeiro de 2002 e novembro de 2003, utilizando três Wildlife Pro Camera© (WPC) e quatro DeerCam©. Constatou-se a importância da realização de amostragens em diferentes fitofisionomias, tendo sido observadas variações na...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Armadilhamento; Floresta Atlântica; Inventários; Mastozoologia; Métodos.
Ano: 2007 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81752007000300016
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Atlantic epiphyres: a data set of vascular and non-vascular epiphyte plants and lichens from the Atlantic Forest. Repositório Alice
RAMOS, F. N.; MORTARA, S. R.; MONALISA-FRANCISCO, N.; ELIAS, J. P. C.; MENINI NETO, L.; FREITAS, L.; KERSTEN, R. de A.; AMORIM, A. M.; MATOS, F. B. de; NUNES-FREITAS, A. F.; ALCANTARA, S.; ALEXANDRE, M. H. N.; ALMEIDA-SCABBIA, R. J. de; ALMEIDA, O. J. G. de; ALVES, F. E.; ALVES, R. M. de O.; ALVIM, F. S.; ANDRADE, A. C. S. de; ANDRADE, S. de; AONA, L. Y. S.; ARAUJO. A. C.; ARAÚJO, K. C. T. de; ARIATI, V.; ASSIS, J. C.; AZEVEDO, C. O. de; BARBOSA, B. F.; BARBOSA, D. E. F.; BARBOSA, F. dos R.; BARROS, F. de; BASILIO, G. A.; BATAGHIN, F. A.; BERED, F.; BIANCHI, J. S.; BLUM, C. T.; BOETLER, C. R.; BONNET, A.; BRANCALION, P. H. S.; BREIER, T. B.; BRION, C. de T.; BUZATTO, C. R.; CABRAL, A.; CADORIN, T. J.; CAGLIONI, E.; CANÊZ, L.; CARDOSO, P. H.; CARVALHO, F. S. de; CARVALHO, R. G.; CATHARINO, E. L. M.; CEBALLOS, S. J.; CEREZINI, M. T.; CÉSAR, R. G.; CESTARI, C.; CHAVES, C. J. N.; CITADINE-ZANETTE, V.; COELHO, L. F. M.; COFFANI-NUNES, J. V.; COLARES, R.; COLLETTA, G. D.; CORRÊA, N. de M.; COSTA, A. F. da; COSTA, G. M. da; COSTA, L. M. S.; COSTA, N. G. S.; COUTO, D. R.; CRISTOFOLINI, C.; CRUZ, A. C. R. da; DEL NERI, L. A.; DI PASQUO, M.; DIAS, A. dos S.; DIAS, L. do C. D.; DISLICH, R.; DUARTE, M. C.; FABRICANTE, J. R.; FARACHE, F. H. A.; FARIA, A. P. G. de; FAXINA, C.; FERREIRA, M. T. M.; FISCHER, E.; FONSECA, C. R.; FONTOURA, T.; FRANCISCO, T. M.; FURTADO, S. G.; GALETTI, M.; GALETTI, M.; GARBIN, M. L.; GASPER, A. L. de; GOETZE, M.; GOMES-DA-SILVA, J.; GONÇALVES, M. F. A.; GONZAGA, D. R.; SILVA, A. C. G. e; GUARALDO, A. de C.; GUARINO, E. de S. G.; GUISLON, A. V.; HUDSON, L. B.; JARDIM, J. G.; JUNGBLUTH, P.; KAESER, S. dos S.; KESSOUS, I. M.; KOCH, N. M.; KUNIYOSHI, Y. S.; LABIAK, P. H.; LAPATE, M. E.; SANTOS, A. C. L.; LEAL, R. L. B.; LEITE, F. S.; LEITMAN, P.; LIBONI, A. P.; LIEBSCH, D.; LINGNER, D. V.; LOMBARDI, J. A.; LUCAS, E.; LUZZI, J. dos R.; MAI, P.; MANIA, L. F.; MANTOVANI, W.; MARAGNI, A. G.; MARQUES, M. C. M.; MARQUEZ, G.; MARTINS, C.; MARTINS, L. do N.; MARTINS, P. L. S. S.; MAZZIERO, F. F. F.; MELO, C. de A.; MELO, M. M. F. de; MENDES, A. F.; MESACASA, L.; MORELLATO, L. P. C.; MORENO, V. de S.; MULLER, A.; MURAKAMI, M. M. da S.; CECCONELLO, E.; NARDY, C.; NERVO, M. H.; NEVES, B.; NOGUEIRA, M. G. C.; NONATO, F. R.; OLIVEIRA-FILHO, A. T. de; OLIVEIRA, C. P. L. de; OVERBECK, G. E.; MARCUSSO, G. M.; PACIENCIA, M. L. B.; PADILHA, P.; PADILHA, P. T.; PEREIRA, A. C. A.; PEREIRA, L. C.; PEREIRA, R. A. S.; PINCHEIRA-ULBRICH, J.; PIRES, J. S. R.; PIZO, M. A.; PÔRTO, K. C.; RATTIS, L.; REIS, J. R. de M.; REIS, S. G. dos; ROCHA-PESSÔA, T. C.; ROCHA, C. F. D.; ROCHA, F. S.; RODRIGUES, A. R. P.; RODRIGUES, R. R.; ROGALSKI, J. M.; ROSANELLI, R. L.; ROSSADO, A.; ROSSATTO, D. R.; ROTHER, D. C.; RUIZ-MIRANDA, C. R.; SAITER, F. Z.; SAMPAIO, M. B.; SANTANA, L. D.; SANTOS, J. S. dos; SARTORELLO, R.; SAZIMA, M.; SCHMITT, J. L.; SCHNEIDER, G.; SCHROEDER, B. G.; SEVEGNANI, L.; SILVA JÚNIOR, V. O.; SILVA, F. R. da; SILVA, M. J. da; SILVA, M. P. P.; SILVA, R. G.; SILVA, S. M.; SINGER, R. B.; SIQUEIRA, G.; SOARES, L. E.; SOUSA, H. C. de; SPIELMANN, A.; TONETTI, V. R.; TONIATO, M. T. Z.; ULGUIM, P. S. B.; VAN DEN BERG, C.; VAN DEN BERG, E.; VARASSIN, I. G.; SILVA, I. B. V. da; VIBRANS, A. C.; WAECHTER, J. L.; WEISSENBERG, E. W.; WINDISCH, P. G.; WOLOWSKI, M.; YAÑEZ, A.; YOSHIKAWA, V. N.; ZANDONÁ, L. R.; ZANELLA, C. M.; ZANIN, E. M.; ZAPPI, D. C.; ZIPPARRO, V. B.; ZORZANELLI, J. P. F.; RIBEIRO, M. C..
Epiphytes are hyper?diverse and one of the frequently undervalued life forms in plant surveys and biodiversity inventories. Epiphytes of the Atlantic Forest, one of the most endangered ecosystems in the world, have high endemism and radiated recently in the Pliocene. We aimed to (1) compile an extensive Atlantic Forest data set on vascular, non?vascular plants (including hemiepiphytes), and lichen epiphyte species occurrence and abundance; (2) describe the epiphyte distribution in the Atlantic Forest, in order to indicate future sampling efforts. Our work presents the first epiphyte data set with information on abundance and occurrence of epiphyte phorophyte species. All data compiled here come from three main sources provided by the authors: published...
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE) Palavras-chave: Filicophyta; Lejeuneaceae; Lycopodiophyta; Magnoliophyta; Floresta Atlântica; Epífita; Atlantic Forest; Biodiversity data set; Biodiversity hotspot; Epiphyte; Phorophyte; Tropical forest; Bromeliaceae; Orchidaceae; Floresta Tropical; Marchantiophyta; Polypodiaceae; Tracheophyta.
Ano: 2019 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/1105839
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Atração de morcegos com óleos essenciais de frutos quiropterocóricos em cultivos agrícolas e pastagens abandonadas na Floresta Atlântica. Repositório Alice
SUCKOW, U. M. S.; BIANCONI, G. V.; MIKICH, S. B. B..
2007
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Morcego; Atração; Òleo essencial; Floresta Atlântica.
Ano: 2007 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/312614
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Atributos florais, ornitofilia e sucesso reprodutivo de Palicourea longepedunculata (Rubiaceae), um arbusto distílico no sudeste do Brasil Rev. Bras. Bot.
Silva,Celice Alexandre; Vieira,Milena Faria; Amaral,Cibele Hummel do.
Os atributos florais, a ornitofilia e o sucesso reprodutivo de Palicourea longepedunculata Gardner foram estudados em fragmento de Floresta Atlântica do sudeste do Brasil. Essa espécie é um arbusto distílico que ocorre em sub-bosque úmido de florestas. Em uma área de sete hectares, os indivíduos dos morfos brevistilo e longistilo foram encontrados em uma taxa muito próxima da esperada, 1:1. O período de floração estendeu-se de março (final da estação chuvosa) a setembro, com um pico em maio/junho (estação seca). Os atributos florais dos morfos foram similares, isto é, a floração dos morfos florais foi sincronizada e os números de inflorescências por planta, de flores por inflorescência, de flores abertas por inflorescência e por planta dos morfos foram...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Beija-flores; Fenologia de floração; Floresta Atlântica; Palicourea; Phaethornis.
Ano: 2010 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-84042010000200002
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Aves que utilizam poleiros artificiais em áreas degradadas da Floresta Atlântica. Repositório Alice
GUSTMAN, L. G. D.; OLIVEIRA, A. A. B.; MIKICH, S. B..
2007
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Palavras-chave: Floresta Atlântica; Semente; Dispersão; Poleiro artificial; Monitoramento.
Ano: 2007 URL: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/312703
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Avifauna do Parque Estadual de Vila Rica do Espírito Santo, Fênix, Paraná Biota Neotropica
Scherer Neto,Pedro; Bispo,Arthur Angelo.
A avifauna do Parque Estadual de Vila Rica do Espírito Santo foi estudada a partir de 1982 até o ano de 2007 com a finalidade de obter a sua composição de espécies de aves. Situado no município de Fênix, no estado do Paraná, essa unidade de conservação está inserida em uma região cuja paisagem é um mosaico de fragmentos da floresta Estacional Semidecidual entre extensas áreas destinadas ao plantio de grãos, cana-de-açúcar e pastagens. Possui uma área de 354 ha recoberta em sua maioria por uma floresta secundária em estádio avançado de regeneração e por capoeiras. O inventário foi realizado utilizando em conjunto os métodos de reconhecimento visual e auditivo e por capturas com redes ornitológicas, durante quatro períodos, uma primeira amostragem em 1982, o...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Assembléia de aves; Inventário; Floresta Atlântica; Conservação.
Ano: 2011 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032011000300026
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Biologia floral e sistema de polinização de Solanum stramonifolium Jacq. (Solanaceae) em remanescente de Mata Atlântica, Pernambuco Acta Botanica
Bezerra,Elisangela Lúcia de S.; Machado,Isabel Cristina.
A deiscência de anteras através de pequenos poros apicais é uma característica encontrada em várias espécies da família Solanaceae, especialmente no gênero Solanum, característica esta que restringe a polinização a um grupo de abelhas fêmeas capazes de vibrar as anteras para retirada do pólen. A fenologia, biologia floral e a polinização de Solanum stramonifolium foram estudadas entre os meses de agosto/1999 a dezembro/2000 em populações naturais ocorrentes no Parque Estadual de Dois Irmãos, um dos poucos remanescentes de Mata Atlântica localizada em Recife, Pernambuco (8°7'30"S e 34°52'30"W). Solanum stramonifolium é um arbusto com flores dispostas em inflorescências racemosas, apresentando corola branca e cinco estames de um amarelo intenso, com anteras...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Solanum; Polinização vibrátil; Andromonoicia; Floresta Atlântica; Melitofilia.
Ano: 2003 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062003000200007
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Biologia reprodutiva de Dipsas neivai Amaral e D. catesbyi (Sentzen) (Serpentes, Colubridae) no sudeste da Bahia, Brasil Zoologia
Alves,Fátima Q.; Argolo,Antônio J.S.; Jim,Jorge.
A biologia reprodutiva de Dipsas neivai Amaral, 1923 e Dipsas catesbyi (Sentezen, 1796) foi estudada através da dissecção de 261 espécimes de D. neivai e 222 de D. catesbyi. Em D. neivai o macho amadurece com menor tamanho do que a fêmea, ocorrendo o oposto em D. catesbyi. Em ambas as espécies a fêmea atinge maior tamanho corporal que o macho. O tamanho da ninhada variou de um a oito ovos em D. neivai e de um a seis em D. catesbyi, não estando correlacionado com o tamanho da fêmea na última. O ciclo reprodutivo em ambos machos e fêmeas é contínuo, com vitelogênese e espermatogênese ocorrendo ao longo do ano todo. Em Dipsas neivai, a cópula nas fêmeas é dissociado da vitelogênese. D. neivai e D. catesbyi são sintópicas, e reproduzem no mesmo período do ano,...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Ciclo gonadal; Dimorfismo sexual; Floresta Atlântica; Maturidade sexual.
Ano: 2005 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81752005000300008
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Biota-MS: Montando o quebra-cabeça da biodiversidade de Mato Grosso do Sul Iheringia, Sér. Zool.
Graciolli,Gustavo; Roque,Fabio de Oliveira; Farinaccio,Maria Ana; Souza,Paulo Robson de; Pinto,João Onofre Pereira.
RESUMO. Trata da apresentação do Iheringia, Série Zoologia, suplemento Biota-MS, constituído de 56 artigos sobre a biodiversidade de Mato Grosso do Sul (elaborados por 174 pesquisadores de 41 instituições brasileiras e internacionais), em que são listadas 5.195 espécies de animais e discriminadas as espécies ameaçadas, endêmicas ou, no Brasil, só citadas para o estado. O artigo resgata as ações que deram origem ao “Programa de Ciência, Tecnologia & Inovação em Biodiversidade do Mato Grosso do Sul (Biota-MS)”, implantado em 2009, discute a importância da biodiversidade quanto ao seu valor intrínseco e aos produtos e serviços dela derivados, apresentando-a como um tema estratégico ao desenvolvimento regional, e cita os esforços que o programa vem...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Fauna; Pantanal; Cerrado; Floresta Atlântica; Chaco..
Ano: 2017 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0073-47212017000200200
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Brioflora epífita e epífila da RPPN Frei Caneca, Jaqueira, PE, Brasil Acta Botanica
Campelo,Maria Jaciane de Almeida; Pôrto,Kátia Cavalcanti.
Foi realizado um inventário da brioflora epífita e epífila da RPPN Frei Caneca (8º42'41"S e 35º50'30"W, 750 m alt., 630 ha), remanescente de Floresta Atlântica, localizado no município de Jaqueira, Pernambuco. Um total de 120 amostras de briófitas epífitas foi coletado desde a base até a primeira ramificação do tronco em forófitas arbóreas representativas na área de estudo. Para o inventário das epífilas foram coletadas 40 amostras compostas de três a cinco folhas de arbustos e árvores, desde a base até cerca de 25 m de altura. A brioflora é composta por 71 espécies, distribuídas em 46 espécies de hepáticas e 25 espécies de musgos. Das 21 famílias registradas, Lejeuneaceae (31 spp.) e Calymperaceae (7 spp.) apresentaram maior riqueza genérica e específica....
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Briófitas; Hepáticas; Musgos; Inventário; Floresta Atlântica.
Ano: 2007 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062007000100017
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Bromeliaceae da Ilha Grande, RJ: revisão da lista de espécies Biota Neotropica
Nunes-Freitas,André Felippe; Rocha-Pessôa,Thereza Christina da; Dias,Aline dos Santos; Ariani,Cristina Valente; Rocha,Carlos Frederico Duarte da.
A Ilha Grande, localizada no sul do Estado do Rio de Janeiro, vem se destacando como importante área para fins conservacionistas, especialmente por ser um fragmento representativo de Floresta Atlântica e por apresentar um elevado número de estudos sobre a flora e a fauna local. Este estudo visa analisar o atual status do conhecimento sobre a família Bromeliaceae nesta localidade e analisar o incremento da lista de espécies desta família ao longo do tempo de estudo e do esforço amostral. Foram registradas 58 espécies de Bromeliaceae para a Ilha Grande, das quais 47 foram amostradas apenas com a metodologia empregada neste estudo e constituem registros novos para a Ilha Grande.
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Floresta Atlântica; Esforço amostral; Curva espécies-área; Métodos de amostragem.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032009000200020
Registros recuperados: 100
Primeira ... 12345 ... Última
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional