Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Registro completo
Provedor de dados:  Repositório Alice
País:  Brazil
Título:  Manejo alimentar de ruminantes em sistemas de base agroecológica.
Autores:  SA, J. L. de
SA, C. O. de
Data:  2008-06-16
Ano:  2006
Palavras-chave:  Sistema aagroecológico
Manejo alimentar
Sistema de base agroecológica
Manejo alimenta
Pecuária
Produção animal
Ruminante
Ovino
Caprino
Sistema de produção
Animal production
Grazing animals
Ruminants
Resumo:  Ao longo da história da humanidade, os agricultores desenvolveram estratégias de sobrevivência baseadas no uso sustentável das diversas espécies vegetais e animais. Ainda hoje esse processo é utilizado pela maioria dos agricultores familiares que naturalmente apresentam uma característica de certa forma agroecológica. Porém, em função dos pacotes tecnológicos, a grande maioria não apropriada para o pequeno produtor, se perdeu em parte esta característica. O resgate do conhecimento do pequeno agricultor juntamente com o desenvolvimento de tecnologias apropriadas para ele é primordial para o equilíbrio no meio rural, sendo que, a agroecologia é uma ciência que se adequa perfeitamente à agricultura familiar (Altieri, 2002). A agroecologia tem sido utilizada no intuito de promover o manejo adequado dos recursos naturais e reduzir os impactos sociais econômicos e ambientais negativos, causados pela mal denominada agricultura moderna. Ela é caracterizada pela biodiversidade, pela preservação das espécies, pelo bem estar animal, pela produção sem agressão da natureza e pela obtenção de um produto livre de agrotóxicos e medicamentos que possam prejudicar a saúde humana (Sundrum, 2001), sendo que, o aporte fundamental da Agroecologia tem uma natureza social, uma vez que se apóia na ação social coletiva de determinados setores da sociedade civil vinculados ao manejo dos recursos naturais, razão pela qual é também, neste sentido, sociológica (Sevilla Guzman, 2002). A agroecologia permite trabalhar diferentes formas de conhecimento onde a perspectiva sociológica tem um papel central. Isso se deve à amplitude do enfoque agroecológico que, desde a propriedade pretende compreender toda a complexidade de processos biológicos, tecnológicos (fundamentalmente durante a produção), socioeconômicos e políticos (basicamente durante a circulação dos bens produzidos até que cheguem ao consumidor), que intervém na transformação de uma semente ou de um animal em um produto de consumo (Caporal e Costabeber, 2000). Já desenvolvimento sustentável, princípio básico da agroecologia, em sua formulação mais ampla, significa a realização de potencialidades socioculturais e econômicas de uma sociedade em perfeita sintonia com o seu ambiente. O desenvolvimento deve respeitar os distintos modos de vida e as diferentes culturas, favorecendo a biodiversidade. Entretanto, o termo desenvolvimento sustentável tem sido utilizado, algumas vezes, como crescimento econômico sem considerar as questões sociais e ambientais (Caporal e Costabeber, 2000). As regiões semi-áridas normalmente destinadas para a produção animal e fortemente relacionadas à agricultura familiar, apresentam características que propiciam o desenvolvimento de atividades seguindo os princípios agroecológicos. Uma das vantagens comparativas do ambiente semi-árido é a salubridade de seu clima com respeito à ocorrência de doenças tanto dos animais como das plantas. A maior parte dos problemas de saúde animal, nesta região, são reflexos diretos ou indiretos de uma alimentação deficiente, agravados pela utilização de genética e manejo inadequados. Portanto, acreditando que dadas as possibilidades científicas, técnicas e organizacionais existentes, há fetivamente, a possibilidade, também na produção agropecuária, do processo de produção ser plenamente realizado pela família produtora, sem implicar necessariamente, em perdas de produtividade ou eficiência (Jones e Bressan, 2000) e que, se somado a isso, for explorada a maior facilidade do controle sanitário no semi-árido, pode-se dizer, que apesar da dificuldade causada pela inconstância das chuvas, a região semi-árida é propícia para o desenvolvimento de sistemas agroecológicos de produção familiar (Carvalho Filho, 2000).

bitstream/item/166651/1/XSIM-07.pdf
Tipo:  Artigo em anais de congresso (ALICE)
Idioma:  Português
Identificador:  37935

http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/162828
Editor:  In: CONGRESSO NORDESTINO DE PRODUÇÃO ANIMAL, 4.; SIMPÓSIO NORDESTINO DE ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES, 10.; SIMPÓSIO DE PRODUÇÃO ANIMAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, 1., 2006, Petrolina. Anais... Petrolina: SNPA; Embrapa Semi-Árido, 2006.
Relação:  Embrapa Semiárido - Artigo em anais de congresso (ALICE)
Formato:  1 CD-ROM.
Fechar
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional