Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Ordenar por: RelevânciaAutorTítuloAnoImprime registros no formato resumido
Registros recuperados: 6
Primeira ... 1 ... Última
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Efeito da adição de agentes tróficos na dieta de leitões desmamados sobre a estrutura e ultraestrutura do intestino delgado e sobre o desempenho Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Tucci,F.M.; Thomaz,M.C.; Nakaghi,L.S.O.; Hannas,M.I.; Scandolera,A.J.; Budiño,F.E.L..
Foram estudados os efeitos da glutamina, dos ácidos graxos poli-insaturados e da parede celular de levedura (PCL) sobre a estrutura e ultraestrutura do intestino delgado e o desempenho de leitões. Foram utilizados 45 leitões, desmamados aos 21 dias de idade, para testar os seguintes tratamentos: T1 - dieta basal; T2 - dieta basal + 1% de glutamina; T3 - dieta basal + 0,2% de PCL; T4 - dieta basal + 5% de óleo de peixe. Nos dias sete e 14 pós-desmame, foram abatidos cinco leitões de cada tratamento. Os aditivos testados não alteraram a altura e a densidade dos vilos nem a profundidade das criptas do intestino delgado. Foi observado efeito de idade, mostrando redução na altura e na densidade dos vilos e na profundidade das criptas após o desmame. No duodeno...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Leitão; Cripta; Glutamina; Microvilo; Prebiótico; Vilo.
Ano: 2011 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352011000400019
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Efeito do resfriamento sobre a textura post-mortem da carne do peixe matrinxã Brycon cephalus Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Suárez-Mahecha,H.; Beirão,L.H.; Francisco,A.; Nakaghi,L.S.O.; Pardo-Carrasco,S.C..
Os mecanismos que causam o amolecimento e a perda na textura post-mortem da carne de matrinxã foram determinados por meio das mudanças na microestrutura do músculo, imediatamente após a morte e depois de 12 horas de estocagem a -3°C. As observações na microestrutura, realizadas com microscópio eletrônico de transmissão, foram semelhantes aos resultados obtidos na força de ruptura do músculo medidos com o texturômetro. Os valores da força da ruptura foram menores para a carne após o resfriamento. Observou-se que as fibras do colágeno do tecido conectivo pericelular se desintegraram e que as do colágeno do tecido conectivo do miocommata conservaram sua arquitetura e integridade. Houve pouca degradação da linha Z. Isso sugere que o amolecimento post-mortem da...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Peixe; Matrinxã; Brycon cephalus; Textura; Colágeno; Tecido conectivo.
Ano: 2007 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352007000400037
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Emprego da microscopia eletrônica na avaliação pós-vacinal de epitélio traqueal de patos (Anas platyrhynchos) imunizados contra a doença de Newcastle Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Franzo,V.S.; Paulillo,A.C.; Nakaghi,L.S.O.; Amoroso,L..
Avaliou-se o emprego da microscopia eletrônica de varredura no estudo da reação respiratória pós-vacinal em epitélio traqueal de patos (Anas platyrhynchos) imunizados contra a doença de Newcastle. Foram utilizadas 48 aves, distribuídas em quatro grupos: T1 - grupo de aves-controle (não vacinadas), T2 - grupo de aves vacinadas com a estirpe Ulster 2C, T3 - grupo de aves vacinadas com a estirpe B1 e T4 - grupo de aves vacinadas com a estirpe LaSota. Independente do grupo experimental, as aves não apresentaram sinais clínicos detectáveis de reação respiratória pós-vacinal. Ao microscópio eletrônico de varredura, observou-se que os animais vacinados com as estirpes B1 e LaSota desenvolveram descamação epitelial da traqueia, enquanto os vacinados com a estirpe...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Pato; Microscopia eletrônica; Epitélio traqueal; Reação pós-vacinal respiratória; Vírus da doença de Newcastle.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352009000200008
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Morfologia e histologia do oviduto de marrecas Ana boschas Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Moraes,C.; Baraldi-Artoni,S.M.; Pacheco,M.R.; Nishizawa,M.; Nakaghi,L.S.O..
Avaliaram-se o comprimento do infundíbulo, do magno, do istmo, do útero e da vagina e o número de pregas do magno e do istmo do oviduto de 20 marrecas Ana boschas na fase reprodutiva. O infundíbulo apresenta mucosa com pregas longitudinais e baixas, revestidas por epitélio pseudoestratificado cilíndrico ciliado, com células caliciformes. O magno, compartimento mais longo do oviduto, 25,38cm±3,20, encontra-se constituído por uma camada mucosa com pregas altas e espessas revestidas por células cilíndricas ciliadas e abundantes células caliciformes. O istmo é formado por uma mucosa com pregas estreitas e curtas e numerosas glândulas tubulares que se estendem para o interior da lâmina própria. O útero, região curta do oviduto, 5,25cm±1,26, apresenta parede com...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Marreca; Morfologia; Histologia; Sistema reprodutor.
Ano: 2010 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352010000200008
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Morfologia e quantificação da microbiota intestinal do curimbatá (Prochilodus lineatus) e do cascudo cinza (Pterygoplichthys anisitsi) cultivados em cativeiro Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Makino,L.C.; Faustino,F.; Paes,M.C.F.; Beraldo-Massoli,M.C.; Cardozo,M.V.; Schocken-Iturrino,R.P.; Nakaghi,L.S.O..
Todos os animais vivem em íntima associação com micro-organismos que desempenham importantes funções em seu desenvolvimento normal. Nos vertebrados, a mais populosa e complexa comunidade de micro-organismos reside no trato intestinal. O intuito do estudo foi quantificar, classificar e verificar morfologicamente a população microbiana intestinal de duas importantes espécies de peixes de água doce, o curimbatá (Prochilodus lineatus) e o cascudo cinza (Pterygoplichthys anisitsi). As amostras foram coletadas por meio de raspagens da mucosa intestinal, diluídas seriadamente até 10-4, semeadas em placas contendo ágar soja tripticaseína (TSA) e ágar chocolate (AC) para contagem de bactérias totais e identificação morfológica por Gram, em aerobiose e em...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Microbiologia; Peixe; Intestino; Morfologia.
Ano: 2012 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352012000400019
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Sexagem histológica e desempenho de Oreochromis niloticus testando diâmetros de ração de acordo com o aparato bucal Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Nakaghi,L.S.O.; Paes,M.C.F.; Makino,L.C.; Dias- Koberstein,T.C.R.; Malheiros,E.B..
Estudou-se o tamanho da boca de larvas de tilápia-do-nilo e testou-se o efeito de diferentes granulometrias da ração sobre o ganho de peso, comprimento e sobrevivência das larvas aos 30 e 60 dias de arraçoamento. Avaliou-se também o método de sexagem por meio de microscopia de luz aos 35 dias de idade. A medida da boca das larvas apresentou valores médios de 918,2±152,9μm aos cinco dias de idade. De acordo com esse dado, testaram-se três granulometrias: 0,25, 0,35 e 0,50mm. Aos 30 e aos 60 dias de arraçoamento, 10% das larvas foram medidas, pesadas e contadas para cálculo da taxa de sobrevivência. O tamanho dos grânulos testados não afetou o desempenho das larvas de tilápia nilótica com alimentação iniciada aos cinco dias pós-eclosão. Quanto à sexagem...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Peixe; Boca; Gônadas; Granulometria; Histologia.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352009000300028
Registros recuperados: 6
Primeira ... 1 ... Última
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional