Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Ordenar por: RelevânciaAutorTítuloAnoImprime registros no formato resumido
Registros recuperados: 3
Primeira ... 1 ... Última
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
A mosca-da-azeitona, Bactrocera oleae (Gmelin), no Planalto Mirandês: ciclo biológico e importância económica. IPB - Escola Superior Agrária
Bento, Albino; Pereira, S.; Armendáriz, I.; Pereira, J.A..
Em Portugal o olival para produção de azeitona de mesa representa 4.0% da superfície olivícola. Trás-os-Montes concentra aproximadamente metade da área nacional e mais de 55% da produção. Um dos principais entraves a produção diz respeito aos prejuízos de natureza quantitativa e qualitativa. provocados peles inimigos da cultura. Entre estes inimigos assume particular relevo a mosca-da-azeitona, Bactrocera oleae (Gmelin) que constitui a praga chave da cultura no conjunto dos países da bacia do Mediterrâneo. Com 0 presente estudo pretendeu-se contribuir para o conhecimento do cicio biológico da mosca-da-azeitona, Bactrocera oleae (Gmelin), e sua importância económica em azeitona de mesa na região do Planalto Mirandês.
Tipo: ConferenceObject Palavras-chave: Azeitona de mesa; Bactrocera oleae; Curva de voo; Infestação.
Ano: 2008 URL: http://hdl.handle.net/10198/6043
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
A serologia para avaliação do papel dos predadores em olival biológico IPB - Escola Superior Agrária
Santos, Sónia A.P.; Rodrigues, C.; Pereira, J.A.; Rei, F.; Cortez, I.; Torres, L.; Pereira. A.M..
A oliveira, sendo uma planta mediterrânica, encontra-se bem adaptada em Portugal. Apesar de ser uma cultura com poucos problemas fitossanitários, por vezes e sujeita à acção de algumas pragas e doenças. De entre as pragas de artrópodos destacam-se a traça da oliveira, Prays oleae (Bern.), a mosca da azeitona, Bactrocera oleae (GmeL) e a cochonilha negra, Saissetia oleae (Oliv.). No entanto, as populações destes inimigos podem ser mantidas abaixo do nível económico de ataque por factores abióticos e/ou por outros artrópodos, espécies predadoras e parasitóides, que contribuem para a estabilidade da biocenose no olival A valorização destes auxiliaras é, assim, um factor preponderante na protecção contra pragas da oliveira, nomeadamente em modo de produção...
Tipo: ConferenceObject Palavras-chave: Protecção de plantas; Prays oleae; Bactrocera oleae; Saissetia oleae; Antissoro policiclonal; ELISA.
Ano: 2004 URL: http://hdl.handle.net/10198/6019
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Produção de antissoros policlonais para detecção de predadores das principais pragas da oliveira IPB - Escola Superior Agrária
Rodrigues, C.; Santos, Sónia A.P.; Pereira, J.A.; Rei, F.; Cortez, I.; Torres, L.; Pereira, A.-M..
A oliveira está bem adaptada às áreas mediterrâneas mas por vezes é sujeita à acção de inimigos, nomeadamente a traça da oliveira, Prays oleae (Bern.), a mosca da azeitona, Bactrocera oleae (Gmel.) e a cochonilha negra, Saissetia oleae (Oliv.). No entanto, as populações destes inimigos podem ser mantidas abaixo do nível económico de ataque por factores abióticos e bióticos. Entre estes incluem-se espécies predadoras e parasitóides que contribuem para a estabilidade da biocenose. A valorização dos auxiliares artrópodos é, assim, factor preponderante na protecção contra pragas da oliveira, nomeadamente em modo de produção biológico. A utilização de técnicas serológicas, particularmente ELISA (enzyme linked immunosorbent assay), para avaliação da predação em...
Tipo: ConferenceObject Palavras-chave: Protecção de plantas; Prays oleae; Bactrocera oleae; Saissetia oleae; Antissoro policiclonal; ELISA.
Ano: 2003 URL: http://hdl.handle.net/10198/6016
Registros recuperados: 3
Primeira ... 1 ... Última
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional