Sabiia Seb
PortuguêsEspañolEnglish
Embrapa
        Busca avançada

Botão Atualizar


Botão Atualizar

Ordenar por: RelevânciaAutorTítuloAnoImprime registros no formato resumido
Registros recuperados: 5
Primeira ... 1 ... Última
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Avaliação metabólica e hemodinâmica de dois protocolos de sedação prolongada em cães Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Regalin,D.; Gehrcke,M. I.; Comassetto,F.; Regalin,B.D.C.; Rosa,L.; Padilha,V.S.; Lima,I.T.; Moraes,A.N.; Oleskovicz,N..
RESUMO Objetivou-se determinar a viabilidade de dois protocolos de sedação para ventilação prolongada em cães e seus efeitos hemodinâmicos e metabólicos. Doze cães, alocados aleatoriamente em dois grupos (n=6), receberam infusão contínua de midazolam (0,5mg/kg/h), fentanil (10µg/kg/h) e propofol (18mg/kg/h) no GMF ou cetamina (0,6mg/kg/h), morfina (0,26mg/kg/h) e propofol (18mg/kg/h) no GCM, durante 24 horas. Os cães foram ventilados mecanicamente com FiO2 de 40%, mantendo-se a normocapnia. A FC diminuiu 32% no GMF e 34% no GCM ao longo do tempo, reduzindo o IC em 24% no GMF e em 29% no GCM. A CaO2, o CvmO2, a DO2 e o VO2 diminuíram no GCM (5%, 16%, 31% e 7%) e no GMF (4%, 19%, 26% e 15%), respectivamente. A TEO2 aumentou 32% no GMF e 36% no GCM, sem...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Ventilação mecânica; Propofol; Cetamina; Midazolam; Opioides.
Ano: 2017 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352017000501215
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Infusão contínua intravenosa de midazolam isolado ou associado ao fentanil para realização de endoscopia em suínos Ciência Rural
Cassu,Renata Navarro; Crociolli,Giulianne Carla; Diniz,Miriely Steim; Guilhen,Rafael Costa; Yamasaki,Letícia.
Com este estudo objetivou-se avaliar o efeito cardiorrespiratório e a qualidade da anestesia e da recuperação pós-anestésica decorrentes da associação cetamina e xilazina seguida da infusão contínua intravenosa (IV) de midazolam isolado ou associado ao fentanil, em suínos. Foram avaliadas 10 porcas adultas, da raça Landrace, com peso médio de 170±4kg, submetidas à endoscopia. Todos os animais foram medicados pela via intramuscular com cetamina (4mg kg-1) associada à xilazina (2mg kg-1). Vinte minutos após, foi realizado um bolus IV de cetamina (2mg kg-1), seguida da infusão contínua IV de midazolam (0,5mg kg-1h-1 GM, n=5), ou midazolam (0,25mg kg-1h-1) associado ao fentanil (4µg kg-1 h-1 GMF, n=5). Foram avaliados: frequência cardíaca (FC) e ritmo...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Cetamina; Xilazina; Benzodiazepínico; Opioides; Suíno.
Ano: 2012 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782012001200016
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Ropivacaína isolada ou associada à metadona ou à morfina, pela via epidural, em cadelas submetidas à ovário-histerectomia Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Andrade,N.R.; Santos,B.C.P.; Caires,L.P.; Azevedo,M.C.; Martins Filho,E.F.; Sande,J.Q.; Costa Neto,J.M.; Barbosa,V.F..
RESUMO Objetivou-se avaliar os efeitos fisiológicos, sedativos e analgésicos da administração peridural de ropivacaína isolada ou associada à morfina ou à metadona. Para tal, 24 cadelas submetidas à ovário-histerectomia receberam acepromazina, e a anestesia foi induzida e mantida com propofol e isoflurano (FiO2 = 1,0), respectivamente. De acordo com o protocolo peridural, formaram-se três grupos de igual número: GR (ropivacaína - 2,0mg/kg); GRMETA (ropivacaína - 2,0mg/kg e metadona - 0,3mg/kg) e GRMORF (ropivacaína - 2,0mg/kg e morfina - 0,1mg/kg). Registraram-se os parâmetros fisiológicos intraoperatórios e os graus de sedação e analgesia pós-operatórios. No GR constataram-se maiores médias de pressões arteriais 30 minutos após a anestesia epidural em...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Cães; Analgesia; Anestesia; Locorregional; Opioides.
Ano: 2019 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352019000200430
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Sobre a analgesia pós-operatória da morfina, cetamina ou da associação em cadelas submetidas à ovariossalpingohisterectomia eletiva Ciência Rural
Almeida,Maria Raquel de; Luna,Stelio Pacca Loureiro; Alves,Robson Moreira; Hashimoto,Hetielle Harumi; Almeida,Ricardo Miyasaka de.
Este estudo objetivou avaliar a eficácia analgésica da morfina e cetamina, isoladas ou associadas, para tratar a dor pós-operatória de cadelas submetidas à ovariossalpingohisterectomia (OSH) eletiva. Foram utilizadas 24 cadelas saudáveis, de raças variadas, idade de 27±17 meses e massa corpórea de 11±8,5kg. Os animais foram separados de forma igualitária e aleatória em três grupos: GM - morfina 0,5mg kg-1; GK - cetamina 2,5mg kg-1 ou GKM - morfina 0,5mg kg-1, associada à cetamina 2,5mg kg-1 . Os fármacos foram administrados por via intramuscular (IM) imediatamente após a indução anestésica. A dor foi avaliada por meio de escala analógica visual (EAV) e de Glasgow modificada (EGM) e o grau de sedação pela escala de Dobbins, duas horas antes do procedimento...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Opioides; Analgesia; Cães; Fenciclidina.
Ano: 2013 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782013000700020
Imagem não selecionada

Imprime registro no formato completo
Uso de morfina, xilazina e meloxicam para o controle da dor pós-operatória em cadelas submetidas à ovariossalpingo-histerectomia Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.
Pereira,D.A.; Marques,J.A..
Foram realizados estudos empregando-se analgésicos por via epidural e subcutânea em cadelas de diferentes raças e idades, submetidas à castração mediante celiotomia. Vinte animais foram tranquilizados e anestesiados com tiletamina-zolazepam, e aleatoriamente distribuídos em quatro grupos (n=5), de acordo com o fármaco e a via de administração. Os do grupo morfina (GM) foram submetidos à anestesia epidural no espaço lombossacro, com morfina (0,1mg/kg) associada ao cloreto de sódio a 0,9%. Aos do grupo xilazina (GX), foram administrados xilazina (0,2mg/kg) e cloreto de sódio a 0,9%. Os do grupo meloxicam (GME) receberam 0,2mg/kg do anti-inflamatório meloxicam associado ao cloreto de sódio a 0,9%, injetado pela via subcutânea. Os do grupo-controle (CG)...
Tipo: Info:eu-repo/semantics/article Palavras-chave: Cão; Opioides; Alfa-2-agonistas; Meloxicam.
Ano: 2009 URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352009000200011
Registros recuperados: 5
Primeira ... 1 ... Última
 

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610
Política de Privacidade
Área restrita

Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3448-4890 / 3448-4891 SAC: https://www.embrapa.br/fale-conosco

Valid HTML 4.01 Transitional